Roma cobre suas estátuas nuas para não incomodar a delegação iraniana

Presidente Rohani e o papa Francisco falam sobre a luta contra o terrorismo e o tráfico de armas

Estátuas cobertas nos Museus Capitolinos pela visita de Rohani.
Estátuas cobertas nos Museus Capitolinos pela visita de Rohani.Giuseppe Lami (AP)

Sem vinho na mesa e sem estátuas nuas. O Governo da Itália fez todo o possível para que nada perturbasse a visita a Roma do presidente iraniano, Hassan Rohani, e de seu enorme séquito – seis ministros e uma centena de empresários rodeados por um imponente esquema de segurança –, especialmente levando em consideração os 17 bilhões de euros (74,76 bilhões de reais) em contratos assinados na noite de segunda-feira. O encontro principal de terça foi, porém, mais espiritual. O mandatário iraniano visitou o papa Francisco no Vaticano, com quem – de acordo com o comunicado oficial – falou durante 40 minutos sobre a luta contra o terrorismo e o tráfico de armas. Após a protocolar troca de presentes, Hassan Rohani pediu a Jorge Mario Bergoglio que rezasse por ele.

Algumas das estátuas dos Museus Capitolinos (Roma) que foram cobertas durante a visita de Rohani.
Algumas das estátuas dos Museus Capitolinos (Roma) que foram cobertas durante a visita de Rohani.Gregorio Borgia (AP)

MAIS INFORMAÇÕES

Mas o dado curioso, e também polêmico, da visita ocorreu na tarde de segunda-feira, quando os presentes no encontro de Rohani com o primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, perceberam que boa parte das esculturas dos Museus Capitolinos foram escondidas atrás de tapumes de madeira branca para evitar que os corpos nus incomodassem a delegação iraniana. Segundo o jornal Il Messaggero, foi a própria delegação iraniana que pediu que fossem cobertas a Vênus Capitolina e outras estátuas “por respeito a sua cultura”. De modo que, durante a assinatura dos acordos comerciais entre empresários iranianos e italianos, uma das joias arquitetônicas mais imponentes de Roma – a praça do Capitólio foi remodelada segundo um projeto de Michelangelo – acabou transformada em um vulgar depósito.

Vinho e direitos humanos

O Papa recebe o presidente iraniano, Hassan Rohani, na terça-feira na Cidade do Vaticano.
O Papa recebe o presidente iraniano, Hassan Rohani, na terça-feira na Cidade do Vaticano.Andrew Medichini (EFE)

Já se sabia que não seria servido vinho na recepção oferecida pelo presidente da República, Sergio Mattarella, e no jantar oficial com Matteo Renzi. Apesar de alguns políticos da Liga Norte terem protestado dizendo que cobrir as estátuas é “coisa de loucos”, o Governo italiano não parecia disposto a colocar em perigo a assinatura de acordos que ajudarão a levantar a combalida economia italiana. De fato, o espinhoso assunto dos direitos humanos também não foi mencionado, com exceção de uma desanimada – e muito bem vigiada – concentração em frente ao Panteão. A visita de Rohani à Itália – a primeira em mais de 16 anos – terminará na manhã de quarta-feira com uma visita ao Coliseu, onde não há perigo de encontrar estátuas de Marco Aurélio montado a cavalo e de uma Vênus nua.

Arquivado Em: