Adolescente mata quatro pessoas a tiros no Canadá

Agressor disparou contra seus dois irmãos menores em casa e depois abriu fogo numa escola

Winnipeg / Vancouver - 23 ene 2016 - 13:30 UTC

Um adolescente armado matou a tiros quatro pessoas, duas delas numa escola, na cidade de La Loche, no Norte do Canadá. O agressor atirou primeiro em seus dois irmãos pequenos, em casa, e depois foi para a escola de ensino médio, onde matou uma professora de 23 anos e mais uma pessoa, segundo o prefeito em exercício de La Loche, Kevin Janvier, que é pai da professora assassinada. O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, informou inicialmente que havia cinco mortos e dois feridos em estado crítico, mas a polícia depois confirmou que eram quatro mortos.

Autoridades protegem a escola de La Loche, no Canadá.
Autoridades protegem a escola de La Loche, no Canadá.AP

O tiroteio ocorreu numa comunidade pequena e pobre de 2.700 habitantes, na maioria indígenas da etnia dene, na remota província de Saskatchewan, cerca de 3.500 quilômetros a Noroeste de Toronto. O agressor foi preso pela polícia e está sob custódia. Não foram dadas informações sobre sua identidade nem motivação.

Tiroteios são raros no Canadá, que tem legislação de controle de armas mais estrita que a dos EUA

Um dos alunos da escola, Noel Desjarlais, relatou para o canal público de TV canadense o que aconteceu: “Havia muitos gritos. Ouvi seis ou sete disparos antes de sair. Acho que houve mais disparos enquanto estava saindo”, disse. Depois do incidente, todas as escolas foram fechadas.

Mais informações

“Depois de disparar em seus dois irmãos, foi andando para a escola e atirou numa professora e numa menina. Os quatro morreram”, afirmou Joe Lemaigre, amigo da família do agressor. “Conheço a família. A mãe estava no trabalho, em Fort McMurray, e seu avô tinha ido às compras. Foi então que ele atirou.”

Tiroteios são raros no Canadá, que tem legislação de controle de armas mais estrita que a dos Estados Unidos. O pior caso num centro de ensino aconteceu em 1989, quando 14 estudantes universitários morreram na Escola Politécnica de Montreal. Outro tiroteio, na Universidade Concordia, também em Montreal, provocou quatro mortes em 1992.

Trudeau, que lamentou o acontecimento, afirmou que a situação está sob controle. “Obviamente este é o pior pesadelo para qualquer pai. Quando falei com os dirigentes da cidade, disseram-me que a comunidade está consternada”, disse o primeiro-ministro.

Mais informações

O mais visto em ...

Top 50