Caso Neymar

Barcelona afirma que há uma “conspiração contra Neymar”

Vice-presidente de relações institucionais do clube quebrou o silêncio nesta segunda-feira

Neymar, na festa da Bola de Ouro 2016
Neymar, na festa da Bola de Ouro 2016MICHAEL BUHOLZER (AFP)

MAIS INFORMAÇÕES

Carles Vilarrubí, vice-presidente de relações institucionais do Barcelona, quebrou o silêncio em entrevista à rádio RAC-1 nesta segunda-feira. O dirigente falou sobre a fase atual do time do Barcelona e, especialmente, de Neymar, intimado a depôr em 2 de fevereiro na sede da Audiência Nacional. “A cada dia que Neymar jogar melhor e fizer os torcedores desfrutarem de suas atuações, será mais complicado em todos os sentidos. Há uma máquina que está trabalhando e tenho certeza de que no final irão dizer que Neymar estava em Dallas no dia em que mataram (John F.)  Kennedy”. Em 6 de fevereiro de 2015, há quase um ano, ao ser perguntado sobre o mesmo caso, Vilarrubí contradisse seu presidente, Josep María Bartomeu, que já reclamava da existência de uma perseguição nos tribunais contra o Barcelona e o atacante brasileiro. "Não compartilho da teoria do complô", declarou Vilarrubí naquela época. A última referência a Neymar na entrevista desta segunda incluiu o Real Madrid. O diretor do Barça garantiu que Florentino Pérez, presidente do clube madrilenho, não se reuniu com o pai de Neymar para tratar de uma possível transferência.

Vilarrubí também deu seu apoio aos clubes espanhóis que foram sancionados pela FIFA pela contratação de menores, o Atlético de Madri e o Real Madrid. “Se realmente o Real Madrid e o Atlético encontram-se na mesma situação pela qual foi punido o Barcelona, a injustiça é a mesma que a que sofremos. Neste caso temos que ser solidários, já que as injustiças são para todos. O objetivo é correto, mas é impensável que três grandes clubes como nós trafiquem crianças”. Para o diretor do Barcelona, por trás da postura da FIFA estão “muitos anos de ineficiência e de corrupção”.

O "Caso Neymar"

No dia 13 de janeiro, o juiz José de la Mata, da Audiência Nacional espanhola, atendeu um pedido do Ministério Público para intimar o atleta e outros envolvidos para que deponham nos dias 1º. e 2 de fevereiro, na condição de investigados sobre as irregularidades na transação entre o time brasileiro e o espanhol. Além do atleta, serão ouvidos o pai dele, Neymar da Silva Santos, o atual presidente do Barcelona, Sandro Rosell, e o antecessor, Josep Maria Bartomeu.

Neymar Jr. foi convocado para depor no dia 2 de fevereiro às 10h (hora local espanhola) na sede da Audiência Nacional, principal órgão do Judiciário espanhol. Rosell e Bartomeu deverão comparecer ao local na véspera, às 10h e às 11h30, respectivamente. A Justiça também intimou representantes do FC Barcelona, do Santos, da empresa N&N Consultoria Esportiva e Empresarial e dois ex-dirigentes do Santos, Luis Álvaro de Oliveira Ribeiro e Odilio Rodrigues Filho. Também irá depor o vice-presidente financeiro do Barça, Javier Faus, mas na qualidade de testemunha.

Arquivado Em: