MPL realiza protestos em dois pontos de São Paulo

Manifestações do Passe Livre contra o aumento da tarifa ocorrem hoje no centro e no largo da Batata

Protesto de terça-feira.
Protesto de terça-feira.Rovena Rosa/Agência Brasil

O Movimento Passe Livre convocou para as 17h desta quinta-feira seu terceiro protesto do ano contra o reajuste da tarifa dos transportes públicos em São Paulo. Deste vez, a concentração para os atos ocorrerá em frente ao Theatro Municipal, na região central  e no Largo da Batata, na zona oeste. O roteiro da marcha que sai do centro inclui Prefeitura, Secretaria de Segurança Pública, avenida Brigadeiro e MASP, na avenida Paulista, enquanto que a do Largo da Batata irá passar pela avenida Faria Lima, Praça Panamericana, ponte da Cidade Universitária, avenida Vital Brasil e Metrô Butantã. As outras duas manifestações do grupo foram fortemente reprimidas pela Polícia Militar, sendo que a última, na terça-feira, nem chegou a sair em marcha. Acompanhe aqui os protestos ao vivo.

Gil Alessi
O metrô Butantã opera com apenas duas catracas abertas. Policiais da tropa de choque bloqueiam as demais.
Marina Rossi
Algumas pessoas foram detidas durante a tentativa do "catracaço" no metrô Consolação. Estão sendo levadas, segundo apuramos, para o 78DP
Marina Rossi
Um ferido no metrô da Consolação sendo atendido neste momento pelo Grupo de Apoio ao Protesto Popular (GAPP)
EL PAÍS BRASIL
A repórter Marina Rossi informa que neste momento os trens não estão parando na Estação Consolação do metrô. Somente a saída da estação está liberada e ninguém pode entrar, nem mesmo os socorristas. Há muitos policiais dentro e fora da estação.
Gil Alessi
O metrô Butantã está fechado para embarque.
EL PAÍS BRASIL
Tumulto segue na Estação Consolação. Manifestantes pedem para pular a catraca, mas funcionários não cedem. Está caótico, com quebra-quebra, informa Marina Rossi
EL PAÍS BRASIL
Na estação Consolação do metrô, manifestantes tentam "catracaço" (pular a catraca) e Polícia Militar joga bombas, informa a repórter Marina Rossi.
Gil Alessi
O ato chega ao metrô Butantã, e os manifestantes fazem um jogral. "O prefeito e o governador precisam saber que com bombas não vão nos parar!".
Marina Rossi
A PM havia feito um cordão para limitar a marcha até o MASP. Mas após o jogral, os manifestantes passaram livremente e agora seguem em direção à rua da Consolação. Os dois sentidos da Paulista seguem totalmente fechados para os carros.
Marina Rossi
Manifestantes realizam um jogral neste momento, sentados em frente ao MASP. O ato está sendo encerrado, até o momento, sem violência.
Gil Alessi
O ato entre na Vital Brasil, e se aproxima do destino, o metrô Butantã
Marina Rossi
O ato na Paulista começa a chegar no ponto final: o MASP. Nova manifestação já está marcada pra terça-feira que vem, as 18h, no cruzamento da Rebouças com a Faria Lima.
Gil Alessi
O ato que saiu do Largo da Batata passa agora em frente à USP
Gil Alessi
"Que coincidência, quando a PM não age com violência não há violência no protesto", diz um manifestante do MPL
Marina Rossi
A manifestação chega à avenida Paulista, que já está com os dois lados totalmente interditados.
Marina Rossi
"Não à repressão. Eu quero ver a tarifa lá no chão", é um dos gritos dos manifestantes, neste momento na Brigadeiro Luiz Antônio, já bem perto da avenida Paulista
Gil Alessi
O ato segue pela ponte Cidade Universitária
Gil Alessi
As duas pistas da ponte Cidade Universitária estão fechadas.
Marina Rossi
Marcha segue na Brigadeiro Luiz Antônio, cruzando com a rua 13 de Maio.
Gil Alessi
Ao chegar no acesso da ponte Cidade Universitária, integrantes do Passe Livre, PMs e.black blocs dialogam sobre o percurso e entram em acordo sobre o não fechamento das duas pistas da via.

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS