Aeroporto de Pequim cancela centenas de voos devido à poluição

As concentrações de partículas sólidas superavam em 20 vezes os níveis recomendados

Dois homens usam máscaras protetoras contra a poluição em Pequim.ATLAS / EFE

A visibilidade praticamente nula no aeroporto internacional de Pequim devido a mais um episódio grave de poluição atmosférica provocou nesta sexta-feira o cancelamento de centenas de voos. O aeroporto, o segundo maior do mundo em tráfego de pessoas, com um total de 86 milhões de passageiros ao ano, anunciou a suspensão de mais de 300 voos, enquanto outras centenas registravam grandes atrasos por causa das dificuldades de decolagem. Muitos outros voos com destino à capital chinesa tiveram de ser desviados para outras localidades.

MAIS INFORMAÇÕES

Pequim festejou o Natal sob uma concentração de partículas PM 2,5, as menores e mais prejudiciais para a saúde, que chegou a atingir 620 microgramas por metro cúbico, segundo aferição da embaixada dos Estados Unidos na capital chinesa. Isso significa um nível cerca de 25 vezes acima do máximo recomendado pela Organização Mundial da Saúde. Às 19h (11h GMT), o nível de concentração chegava a 426 microgramas nas proximidades da praça Tiananmen, centro nevrálgico da cidade.

Do fim de semana passado até a terça-feira, a capital chinesa viveu sob o segundo alerta vermelho por poluição atmosférica de sua história. As restrições ao tráfego e às atividades na indústria permitiram que se “controlasse” o nível de partículas nocivas no ar entre 300 e 400 microgramas por metro cúbico, mas a suspensão dessas medidas extraordinárias, ao lado da ausência de vento, fez os medidores dispararem novamente. As autoridades decidiram ativar nesta sexta-feira o alerta laranja, o segundo mais grave, que, embora limite certas atividades industriais, não recomenda o fechamento das escolas nem restringe a circulação de veículos particulares.

“Não consigo entender. Há uma semana, o Governo anunciou o alerta vermelho com base em níveis bem inferiores aos registrados agora, e hoje só decretou o laranja. Poucas vezes eu vi tanta poluição como hoje. Alguém poderia me explicar qual é a lógica em que eles se baseiam?”, queixava-se uma internauta chinesa no Weibo, o Twitter chinês. Outro usuário se perguntava se o Papai Noel tinha conseguido encontrar a cidade em meio àquela nuvem cinzenta.

Em Pequim, a cor do alerta é determinada não apenas pela quantidade de elementos poluentes no ar, mas também pela previsão da duração do evento. O alerta vermelho, por exemplo, só é acionado quando se prevê que o smog permanecerá por pelos menos três dias consecutivos.

Durante todo o mês de dezembro, grande parte do norte da China sofreu os efeitos da poluição atmosférica. É um fenômeno comum nas principais cidades do país, mas que se acentua especialmente no inverno devido ao uso do sistema público de calefação, que funciona a partir da queima de carvão. Além de Pequim, cerca de 50 cidades de pelo menos quatro províncias do norte emitiram alertas por poluição. Eles também foram acionados em localidades como Shangai e Nanjing, no leste do país. O Centro Meteorológico Nacional chinês prevê que a densa camada de névoa deve se dissipar neste sábado à tarde graças à chegada de uma frente fria.

Arquivado Em: