eleições Estados Unidos

Latinos dizem a Hillary Clinton: “Você não é minha avó”

Rejeição nas redes sociais a uma campanha que compara a candidata democrata com as avós latinas

Uma das paródias na internet após a polêmica da ‘abuela’ com Clinton.
Uma das paródias na internet após a polêmica da ‘abuela’ com Clinton.Latino Rebels

Ser avó sempre foi um dos sonhos declarados de Hillary Clinton. Tanto ou mais do que ser presidenta dos Estados Unidos. Inclusive unificou esses sonhos em mais de uma ocasião: a candidata democrata não hesitou em proclamar o amor e a preocupação por sua neta Charlotte, de pouco mais de um ano, para mostrar sua faceta mais humana na intensa campanha para chegar à Casa Branca. Para muitos hispanos, porém, ela agora foi longe demais. A campanha de Clinton aproveitou a notícia lançada esta semana por sua filha Chelsea, de que a candidata será avó pela segunda vez, para tentar atrair o voto latino comparando-a com as abuelitas (“vovós”) hispanas. Pela rejeição que se vê nas redes sociais, parece claro que os latinos não gostaram da ideia.

MAIS INFORMAÇÕES

“As sete coisas em que Hillary Clinton é como sua abuela”, diz um post publicado no blog da campanha da ex-secretária de Estado. A palavra abuela (“avó”) está escrita em espanhol – a autora é uma hispana que trabalha na campanha de Clinton – e o texto está cheio de acenos aos latinos, incluindo outra palavra-chave para os hispanos nestes dias de agressiva retórica contra os imigrantes: respeto (“respeito”).

Clinton “não tem medo de falar da importância do respeito”, diz o texto, que ressalta momentos em que a também ex-primeira dama defendeu os hispanos em sua campanha, sobretudo ante os insultos do candidato republicano Donald Trump.

A reação nas redes sociais foi imediata. Mas não foi, nem de longe, a que a equipe democrata esperava. O hashtag #notmyabuela (“não é minha avó”) viralizou nas últimas horas, chegando em alguns momentos a ser trending topic no Twitter.

“Minha vovó era uma valente mãe de sete filhos, que não teve o privilégio de ter educação superior, riquezas e oportunidades”, disse uma usuária do Twitter em referência ao privilegiado e abastado passado – e presente – da ex-primeira dama, também vítima de memes pela polêmica da abuelita.“Hillary #noesmiabuela porque me vi separada da minha por muitos quilômetros e uma fronteira militarizada”, comentava outra.

“Minha avó não tentará comprar votos latinos usando palavras em espanhol e tentando se identificar com dificuldades que ela nunca conheceu”, escreveu Christian Vásquez, cuja conta segue a do presidente Barack Obama.

Latino Rebels, um site que analisa – quase sempre de maneira humorada – a realidade dos latinos nos Estados Unidos, adquiriu um tom sério na quarta-feira ao pedir que Clinton termine com essa campanha. “Os votantes latinos jovens não são estúpidos. Ao contrário: estão bem informados e sabem quando alguém tenta se conectar de verdade com eles e quando simplesmente buscam o caminho fácil. A campanha de Clinton tem que levar a sério o voto latino e começar a respeitá-lo. Os votos se conquistam, não vêm de graça”, espetaram os autores.

A Dreamer Action Coalition também atacou duramente a candidata democrata nas redes sociais, lembrando que ela nem sempre esteve do lado dos imigrantes que chegaram ilegalmente.

“Hillary Clinton, as avós não expulsam as crianças refugiadas que fogem da violência na América Central”, disse no Twitter a organização, que agrupa osdreamers (“sonhadores”), os jovens que chegaram ainda crianças nos EUA de maneira ilegal.

A resposta da campanha de Clinton

Já a campanha de Clinton, que há meses corteja o voto hispano, tentava conter os danos na quarta-feira. Embora não tenha eliminado o artigo, o site de Clinton reformulou discretamente seu título para “As sete coisas que Hillary Clinton tem em comum com sua abuela”, destacaram os jornais norte-americanos.

Além disso, a chefe de campanha de Clinton, a hispana – e ex-dreamer ­–Lorella Praeli, emitiu nota explicando por que, sendo latina e ex-ativista dreamer, apoia a candidatura democrata.

“Como uma latina que recentemente se tornou cidadã, conheço os desafios que muitos enfrentam neste país, incluindo o medo da deportação, e Hillary está comprometida em lutar contra os ataques republicanos para destruir famílias como a minha”, escreveu a jovem de origem peruana. “Tenho orgulho de trabalhar para alguém que defende as latinas e continuarei viajando pelo país para explicar como ela lutará por nossa comunidade como presidenta.” Até agora, suas palavras não conseguiram apaziguar as redes sociais.