Atentado em Beirute

Mais de 40 mortos em dois atentados suicidas em um bairro xiita de Beirute

Dois homens detonaram cargas explosivas ao lado de uma mesquita

Paramédicos no local do duplo atentado.AFP / REUTERS-LIVE!

Dois atentados suicidas causaram mais de 40 mortos e 230 feridos na periferia de Beirute, segundo afirmou, na sua conta oficial do Twitter, a Cruz Vermelha do Líbano. As explosões ocorreram às seis da tarde, no bairro de Bourj el-Barajneh, às portas do espaço religioso xiita, em que os fiéis se reúnem. “Um primeiro suicida detonou a carga de um cinto de explosivos. Três minutos depois e a uns vinte metros de distância, um segundo suicida aumentou o número de mortos ao explodir uma segunda carga entre aqueles que tinham vindo ajudar os feridos”, afirmaram a este jornal fontes próximas à segurança geral libanesa.

O Estado Islâmico (ISIS, na sigla em inglês) assumiu a responsabilidade pelo atentado através de uma conta no Twitter na qual descreveu a operação como “especial”. “Soldados do Califado detonaram explosivos plantados em uma motocicleta em uma área popular frequentada por rafida (xiitas)”, dizia o comunicado. “Depois que os apóstatas se reuniram na área, um dos cavaleiros do martírio detonou seu cinto de explosivos no meio deles matando mais de 40”, acrescenta. “Vamos continuar nossa luta contra o Hezbollah”, acrescentava a mensagem.

MAIS INFORMAÇÕES

O Hezbollah, do ramo xiita do Islã, é um fiel aliado do regime sírio de Bashar al-Assad e luta ao lado dele com militantes combatendo as forças rebeldes e os jihadistas. O grupo Estado Islâmico e a Frente Al Nusra (ligada à Al Qaeda), que por sua vez são sunitas, mantêm fortes combates no sul da Síria e na fronteira com o Líbano, tentando penetrar no país vizinho.

A mídia local divulgou imagens de uma multidão evacuando os feridos para um hospital próximo. “O Exército isolou a área e dispersou a multidão com tiros para o ar, por medo de uma terceira explosão”, conta por telefone Hassan D., morador do bairro sacudido pelos ataques. O canal de televisão libanês LBC garante que havia dois outros terroristas, um dos quais conseguiu escapar e o outro foi morto antes que pudesse detonar o artefato explosivo preso ao seu corpo.

O bairro de Bourj el-Barajneh pertence a Dahie, periferia de Beirute e reduto do partido-milícia xiita Hezbollah. Durante 2013 e 2014, Dahie foi alvo de nove atentados terroristas cuja responsabilidade foi assumida pela Al Qaeda e pelo ISIS como retaliação à participação do Hezbollah na guerra síria.

O país abriga mais de um milhão de refugiados sírios que fogem da guerra, o que representa ¼ da sua população. Em uma entrevista concedida a este jornal no mês passado, o major-general Abbas Ibrahim, chefe da Segurança Geral libanesa, afirmava que nos campos de refugiados “se escondem células adormecidas terroristas”.

As linhas telefônicas colapsaram no país, despertando temores vividos antes da onda de carros-bombas semanais no início de 2014. As forças de segurança afirmam ter conseguido neutralizar dezenas de ataques terroristas nos últimos meses devido ao aumento de pessoal de segurança e do apoio dos serviços de inteligência estrangeiros.

Na mesma manhã, as Forças Armadas libanesas desativaram 10 quilos de explosivos conectados a cinco detonadores no porta-malas de um carro na cidade de Trípoli, ao norte do país. De acordo com a Agência Nacional de Notícias libanesa, o ataque envolvia também um suicida. “A área de informação das Forças de Segurança prendeu ontem um libanês em al-Qobbeh (Trípoli) carregado com um cinto de explosivos pronto para detonar”, informou a agência na manhã da quinta-feira.

O duplo atentado foi precedido por outros dois ataques realizados sete dias atrás na cidade de Arsal, na fronteira leste do país com a Síria. Um terrorista suicida matou seis pessoas em uma congregação de clérigos, enquanto um segundo explosivo estourou na passagem de um veículo militar.

Arquivado Em: