Seleccione Edição
Login

Do que as pessoas ao redor do mundo têm medo?

Mudança climática, crise econômica e terrorismo estão entre os principais temores

Do que as pessoas ao redor do mundo têm medo? Ampliar foto

A mudança climática, a instabilidade econômica e o terrorismo jihadista, entre outros, são os principais temores globais que mais preocupam as pessoas, segundo estudo realizado pelo Pew Research Center. O levantamento foi publicado como prévia da Conferência sobre a Mudança Climática da ONU, que terá lugar em Paris em dezembro. Sua proposta é medir “as percepções dos desafios internacionais”, país por país.

No plano mundial, a mudança climática é vista como a maior ameaça enfrentada pela humanidade, com pouco menos da metade dos países pesquisados a colocando como sua principal preocupação. No total, 46% da população do mundo está muito preocupada com a mudança do clima. No Brasil, os muito preocupados com o tema são 75% dos que participaram da pesquisa. É o item em primeiro lugar no ranking de preocupações do país. Os habitantes de Burkina Faso, na África, são os mais preocupados, com espantosos 79% das pessoas muito preocupadas com o aquecimento global. É um dado significativo, visto que o Programa da ONU para o Desenvolvimento estima que Burkina Faso “experimente alguns dos piores impactos da mudança climática”.

Em relação ao terrorismo jihadista, o Estado Islâmico é a segunda maior ameaça percebida pelo mundo, com 41% a situando como um de seus maiores temores. Pelo menos 14 países identificam a organização terrorista como o risco de nível mais alto. O programa nuclear do Irã suscita especial medo entre os israelenses, com 53%, sendo essa sua maior preocupação. Os norte-americanos, por sua vez, são os mais preocupados com o Irã, com 62%.

A organização fez a pesquisa em 40 países entre março e maio de 2015, com a resposta de mais de 45.000 pessoas. Pediu-se a pessoas do mundo todo que classificassem alguns dos maiores problemas do nosso tempo. As opções para cada item eram “muito preocupado”, “preocupado”, “não muito preocupado” ou “nada preocupado”.

MAIS INFORMAÇÕES