Copa América

Paraguai conta com a sorte para derrotar a Jamaica

Gol de rebote após erro do goleiro dá a vitória ao Paraguai, que agora joga contra o Uruguai

Morgan disputa com Bobadilla durante a partida.
Morgan disputa com Bobadilla durante a partida.YURI CORTEZ (AFP)

A seleção do Paraguai conquistou uma importante vitória em sua segunda partida da Copa América diante da Jamaica. Fica com quatro pontos e em boa posição para jogar contra o Uruguai sua ida à próxima fase. Sem muito brilho, apesar de maior presença no ataque, a equipe guarani marcou o gol da vitória em um lance de sorte fruto de um erro grave do goleiro da seleção jamaicana.

Mais informações

Durante o primeiro tempo, o Paraguai ameaçou a área adversária com as intermitentes chegadas do veterano Roque Santa Cruz. O goleiro jamaicano não mostrava muita segurança diante dos ataques constantes. As dúvidas do arqueiro se confirmaram quando em uma bola longa da defesa paraguaia, o goleiro jamaicano decidiu cortar com a cabeça fora de sua área. A cabeçada bateu no joelho do atacante, Benítez, que vinha de frente e a bola entrou mansamente no gol.

A Jamaica mal conseguia apagar os incêndios em sua área. Os jamaicanos, em sua primeira participação na Copa América, pouco saem do esquema 3-5-2, impulsionados por doses generosa de força e entrega física. O Paraguai, que chegava com a confiança em alta após empatar na primeira partida com a todo-poderosa Argentina, frustrou a torcida pelas expectativas criadas.

O controle de jogo por parte da equipe guarani não esteve acompanhado de jogadas brilhantes, mas de ações perigosas contra a meta rival. As chegadas de Santa Cruz tinham a companhia das jogadas de Raúl Bobadilla, que com um disparo seco de longe, esteve próximo de marcar.

O segundo tempo começou com um gol anulado de Víctor Cáceres por impedimento claro após uma jogada bem-feita da equipe paraguaia. A Jamaica, entretanto, conseguiu criar algo e mudar ligeiramente a tônica do jogo.

O Paraguai não corria riscos e a Jamaica timidamente aparecia para o jogo. Somente algumas ações isoladas, como um toque na mão na área do Paraguai em que o pênalti não foi marcado e uma boa finalização de McCleary pouco depois serviam de estímulo aos caribenhos, em uma partida muito fraca e sem ritmo.

Quando o jogo estava mais apagado, surgiu a melhor jogada da partida até o momento em jogada de Samudio que, após grande tabela com Bobadilla, chutou no travessão (m. 60).

Apesar das jogadas isoladas nas quais os paraguaios demonstravam sua superioridade técnica e tática, a partida dos homens de Ramón Diaz foi discreta. Nada parecido com o segundo tempo de três dias atrás contra a Argentina, quando o Paraguai conseguiu tirar uma diferença de dois gols à base de coração e perspicácia.