Avalanche deixa ao menos 48 mortos no noroeste da Colômbia

Um forte aguaceiro provocou o transbordamento de um riacho no povoado La Margarita

Um setor do município de Salgar depois da avalanche.
Um setor do município de Salgar depois da avalanche. (EFE)

Quarenta e oito pessoas morreram no município de Salgar, departamento de Antioquia (no noroeste da Colômbia), depois do transbordamento do riacho Liborina em consequência do forte aguaceiro registrado na madrugada desta segunda-feira, segundo informação oficial da Unidade Nacional para a Gestão de Risco de Desastres. “Depois da emergência, foi declarada calamidade pública. Há relatos também de que houve 27 feridos trasladados a centros assistenciais”, disse um comunicado, o qual esclarece que há pelo menos 30 famílias afetadas. O presidente Juan Manuel Santos já se deslocou até o lugar do acidente.

MAIS INFORMAÇÕES

Unidades de resgate de vários municípios vizinhos, assim como da direção da Defesa Civil de Antioquia, foram enviadas para socorrer as vítimas, em sua maioria do povoado La Margatira e dos bairros Las Peñitas e setor Los Mangos, de Salgar, onde o impacto da avalanche foi maior.

Os feridos foram trasladados para o município vizinho de Ciudad Bolívar. Santos anunciou que o diretor da Unidade Nacional para a Gestão de Risco de Desastres, Carlos Iván Márquez, estará à frente da emergência. “Os afetados receberão todo o nosso apoio”, escreveu o presidente no Twitter.

Salgar se encontra a 97 quilômetros de Medellín, tem 18.000 habitantes e permanece sem água porque a avalanche arrancou parte das conexões do aqueduto. Não há também gás e energia, serviços que foram suspensos como medida de precaução. Liliana Parra, habitante de Salgar e diretora da Fundação Orus, disse à Blu Radio que “as pessoas estão arrasadas, há muitas medidas preventivas. Não se sabe se isso poderá se repetir”.

Essa é a segunda tragédia na Colômbia em menos de uma semana. Na quinta-feira, 15 mineiros ficaram presos em uma mina de ouro explorada de modo artesanal em Caldas, centro do país, quando a água de um rio entrou no local. A emergência ocorreu depois de uma falha no sistema de energia elétrica que impediu que as motobombas drenassem a água do rio que permanentemente se infiltra na mina. Até o momento, as equipes de resgate localizaram cinco corpos.

Arquivado Em: