Seleccione Edição
Login

Duas novas pesquisas eleitorais dão a vitória a Dilma contra Aécio

Pela primeira vez, os oponentes não estão tecnicamente empatados na disputa

Dilma tira foto com eleitor em campanha no Rio, no dia 20
Dilma tira foto com eleitor em campanha no Rio, no dia 20 AP

As duas últimas pesquisas divulgadas nesta quinta-feira, a três dias do segundo turno das eleições presidenciais, dão vitória a candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT), com uma diferença que chega a até oito pontos percentuais. No levantamento do Ibope, a petista teria 54% dos votos válidos e o oposicionista Aécio Neves (PSDB), 46%. Enquanto que na pesquisa do Instituto Datafolha, os índices foram de 53% a 47% para a presidenta.

Nos dois casos, os números citados não incluem os votos brancos, nulos e indecisos. Quando os votos totais são computados, Dilma chega a 49% contra 41% de Aécio, no Ibope, e 48% a 42%, no Datafolha.

Essa foi a primeira vez que os índices dos oponentes saíram da margem de erro, de dois pontos percentuais, e mostra que Dilma se fortalece na liderança para se manter no comando do Palácio do Planalto. No Ibope anterior, divulgado no dia 15 de outubro, Aécio tinha 51% e Dilma, 49%. Enquanto que o Datafolha, do dia 20, a petista estava com 52% e o tucano com 48% dos votos válidos.

Encomendada pelo jornal Folha de S. Paulo e pela TV Globo, a pesquisa Datafolha ouviu 9.910 eleitores entre ontem e hoje. Já o Ibope, financiado também pela TV Globo e pelo jornal O Estado de S. Paulo entrevistou 3.010 eleitores entre anteontem e hoje.

Em entrevista coletiva no Rio de Janeiro, Dilma disse que esse é o momento da virada eleitoral. "Eu acredito que há uma espécie de virada. Há isso nas ruas. Vi isso em Duque de Caxias [RJ] e em São Paulo. É mais popular do que partidário", afirmou, segundo o site de notícias G1.

Ao mesmo portal, também no Rio, Aécio afirmou que ainda crê em sua vitória no próximo domingo. "É um estímulo aos nossos companheiros e para mim. Os números do primeiro turno comprovam que nem sempre as pesquisas refletem a realidade, e o sentimento de mudança é avassalador. Será apertado, mas temos certeza que vamos ganhar a eleição".

Mudança e rejeição

Os dois institutos também analisaram o índice de rejeição dos concorrentes. No Ibope, 42% dos eleitores consultados disseram que não votariam em Aécio e 36%, em Dilma. No Datafolha, os percentuais foram de 41% contrários ao tucano e 37% contra a petista.

Além de uma eventual vitória no segundo turno, a campanha petista ainda comemora uma melhora na avaliação positiva de seu governo. De acordo com o Datafolha, 44% dos eleitores aprovam a gestão de Dilma. É o melhor índice desde os protestos de junho de 2013, quando milhões de brasileiros pediram mudanças na política. Naquela época, a aprovação ao Governo despencou de 57% para 30%.

MAIS INFORMAÇÕES