Após ser dado como ‘morto’, Aécio enfrenta Dilma no segundo turno

PT e PSDB repetem duelo pela presidência pela quarta vez consecutiva Com 99% das urnas apuradas, o candidato do PSDB consegue 34% dos votos Presidenta fica com 41% e Marina Silva sai da corrida eleitoral, com 21% A abstenção foi de 19%, um ponto a mais que em 2010

Aécio Neves neste domingo em Belo Horizonte.
Aécio Neves neste domingo em Belo Horizonte.LINCON ZARBIETTI (AFP)

A petista Dilma Rousseff e o tucano Aécio Neves repetirão pela quarta eleição consecutiva o duelo entre seus partidos nas disputa brasileira. Com 99% das urnas apuradas, o candidato do PSDB, que foi dado como morto, conseguiu 34% dos votos, a presidenta ficou com 41% e Marina Silva (PSB) saiu da corrida eleitoral, com 21%. A abstenção foi de 19%, um ponto a mais que em 2010.

A reação de Aécio surpreende porque em nenhum momento da campanha ele havia superado a casa dos 30% das intenções de votos. Pior, chegou a ser dado como uma carta fora do baralho, quando Marina Silva entrou na disputa substituindo Eduardo Campos. Em seus piores dias, na primeira quinzena de setembro, Aécio amargou os 15% das intenções de voto. Na ocasião, Marina e Dilma estavam empatadas tecnicamente no primeiro turno.

A ambientalista Marina repete o pleito de 2010 e fica em terceiro lugar. A diferença, desta vez, era que as pesquisas a colocavam até o início da semana passada como a favorita para disputar o segundo turno. A onda Marina começou a diminuir nos últimos dias, depois que ela recebeu uma série de ataques de seus adversários e não conseguiu rebatê-los à altura. Nem o discurso da "nova política" ajudou a ex-ministra do Meio Ambiente a avançar.

No confronto da última eleição presidencial, Dilma venceu o primeiro turno com 46,9% dos votos contra 32,6% do tucano José Serra. Na segunda etapa, a vitória foi de 56% a 43%. 

Mais informações

Estratégia futura

Até o segundo turno ainda restam duas semanas de campanha. Nesse período, Dilma tentará manter a vantagem que tem contra o tucano, conforme as sondagens, para garantir o quarto mandato consecutivo para o PT.

O partido governa o Brasil desde 2003, quando Lula da Silva se elegeu pela primeira vez. Já Aécio deverá se apoiar na igualdade do tempo de propaganda na TV e no rádio para tentar vencer.

Nesta etapa, cada um terá dez minutos de propaganda. Hoje, Dilma tem 11 minutos e 24 segundos, enquanto Aécio tem 4 minutos e 35 segundos. A partir de agora, a eleição, conforme alguns analistas, toma um caráter plebiscitário, já que um dos concorrentes é o atual mandatário.

Os que apoiam o governo possivelmente votarão em Dilma, enquanto os que são contra, em Aécio. O grande contrassenso deste ano foi o do desejo de mudança da sociedade brasileira. Apesar de 74% da população ser a favor de mudanças, a maioria optou por mandar para o segundo turno dois dos políticos que representam os partidos que há duas décadas comandam o país. O confronto PT x PSDB nunca esteve tão vivo.