A China já se equipara à União Europeia em pesquisa e desenvolvimento

O gigante asiático aplica 1,98% do PIB na área 45% do gasto governamental vai para oito agências de defesa

Uma pesquisadora chinesa trabalha em uma incubadora isolada para o cultivo de bactérias.
Uma pesquisadora chinesa trabalha em uma incubadora isolada para o cultivo de bactérias.monty rakusen (cultura creative)

A China já igualou o total gasto pelos 28 países da UE em investimentos em pesquisa e desenvolvimento, com 1,98% do PIB, segundo os últimos dados da OCDE, correspondentes a 2012. Além disso, o gasto do gigante asiático em P&D está em notável progressão e triplicou desde 1995, alcançando, em termos absolutos, 124 bilhões de euros (cerca de 365 bilhões de reais), ou 223 bilhões se a medição for feita por paridade de poder aquisitivo (o sistema mais adequado de comparar investimentos), segundo um informe publicado nesta sexta-feira pela revista Science. Com esta cifra total, a China continua muito atrás dos EUA (344 bilhões de euros) e da UE (259 bilhões de euros), mas já está à frente do Japão (115 bilhões de euros).

A Espanha, em 2012, aplicou 6,393 bilhões de euros em P&D (segundo análise orçamentária da Confederação de Sociedades Científicas da Espanha, a Cosce), com um gasto de 1,3% do PIB, segundo a OCDE, o que implica em uma redução não desprezível de seu máximo histórico, 1,4% do PIB, alcançado em 2010.

Os dados da OCDE mostram que a China apresenta uma progressão notável nos últimos anos, passando de aplicar 1,70% do PIB em P&D em 2009, a 1,76% em 2011 e 1,84% em 2011; enquanto isso, a evolução da UE (os 28), foi de 1,91%, 1,95% e 1,98% respectivamente.

Os autores do informe da Science (Yutan Sun, da Universidade Dalian, chinesa, e Cong Cao, da Universidade de Nottingham, britânica) analisaram a documentação sobre P&D na China por causa da obrigatoriedade das agências governamentais a tornarem públicos seus informes anuais. Eles enfatizam que 45,2% do gasto total do Governo em Pesquisa e Desenvolvimento em 2011 não está detalhado nas informações oficiais, e deve corresponder a oito agências relacionadas com a defesa que não publicam seus dados. É preciso levar em consideração, ressaltam os dois pesquisadores, que no caso do Governo norte-americano mais da metade do gasto em P&D está relacionado com a defesa.

Yutan e Cong destacam que a China potencializa o esforço em pesquisa aplicada e que nos últimos anos está derivando para o desenvolvimento tecnológico, “o que pode ser atribuído à evolução da política de inovação da China, que enfatiza o desenvolvimento em relação à pesquisa científica”. Diferentes instituições, agências e programas, inclusive os ministérios de Ciência e Tecnologia e de Educação, administram o orçamento de P&D civil, sustentando fundamentalmente a ciência básica. Além disso, destaca que um superministério, o de Indústria e Tecnologias da Informação, que “controla grandes quantidades de recursos públicos” e está orientado principalmente à pesquisa aplicada e aos megaprojetos.

Arquivado Em: