Seleccione Edição
Login

Um terremoto de 6,2 graus põe a Nicarágua em alerta

O Governo de Daniel Ortega decreta alerta amarelo na capital, dominada pelo caos. Apresentam problemas os serviços de energia, telefonia móvel e água potável. Há 14 feridos

Moradores da cidade de Nagarote passam a noite na rua.
Moradores da cidade de Nagarote passam a noite na rua.

A terra tremeu com força às 17h26 da quinta-feira (local) na costa do Pacífico da Nicarágua, revivendo na memória dos nicaraguenses um de seus piores medos: a possibilidade de um terremoto de grande magnitude. O sismo desta quinta-feira foi de 6,2 graus na escala Richter e, segundo as autoridades do país centro-americano, deixou 14 feridos e 89 casas destruídas. O Governo de Daniel Ortega decretou alerta amarelo nas províncias de León (oeste) e Manágua, onde o movimento telúrico foi sentido com mais força.

O Instituto Nicaraguense de Estudos Territoriais (INETER) reportou que, após o forte sismo, cujo epicentro foi registrado na costa do Lago de Manágua a uma profundidade de 10 quilômetros, se produziram 350 réplicas, seis delas de uma magnitude maior que quatro graus na escala Richter. O Governo suspendeu as aulas nas províncias de León e Manágua, enquanto ativou o sistema de prevenção e alerta de emergências.

Rosario Murillo, primeira-dama da República e porta-voz oficial do Governo, se colocou à frente das notícias oficiais, através de redes de rádio e TV, nas quais informa à população sobre as decisões tomadas, considerando a possibilidade de novas réplicas. Murillo disse que a pequena cidade de Mateare, no Pacífico da Nicarágua, foi a mais afetada pelo abalo.

Imagens de TV locais mostram o caos que ocorreu em Manágua depois do terremoto, já que o serviço de energia foi suspenso em vários pontos da capital, afetando o tráfego da cidade. Nos bairros da capital, muitos deles formados por favelas sem as mínimas condições antiterremoto, as pessoas saíram de suas casas, sem energia e sem contatos de telefonia móvel, esperando que o alerta passasse. Também falhou o serviço de fornecimento de água potável. Em vários pontos da cidade se escutavam sirenes dos bombeiros e serviços de emergência.

Para os nicaraguenses, o tremor desta quinta-feira lembra o terremoto que em 1972 devastou Manágua, cidade que desde então não conseguiu se recuperar. A tragédia deixou 12.000 mortos na ocasião. Murillo pediu calma à população agora, mas também que se mantenham em alerta por novos possíveis sismos.

MAIS INFORMAÇÕES