O sul do Peru sofreu cortes de energia elétrica e de telefonia

Em Tacna, na fronteira com o Chile, aconteceram desabamentos e as aulas estão temporariamente suspensas

Costa Verde (Lima), depois da ativação do alerta de tsunami.
Costa Verde (Lima), depois da ativação do alerta de tsunami.E. BENAVIDES (AFP)

O terremoto que aconteceu no norte do Chile nesta terça-feira afetou três departamentos do sul do Peru: Tacna, Moquegua e Arequipa. Na cidade de Tacna, na fronteira sul, os cidadãos reportaram o desabamento de muros e danos na infraestrutura do hospital Hipólito Unanue. A Radio Uno indicou que 80% da localidade ficou sem energia elétrica, embora o serviço tenha retornado aos poucos horas depois.

A mesma emissora indicou que moradores da província Vila Vila, em Tacna, foram evacuados depois de o alerta de tsunami no Chile indicar o horário de chegada em seis pontos da costa peruana.

Três horas depois do terremoto, o Centro de Hidrografia da Marinha, em Lima, reportou via América Televisión que o alerta de tsunami não valia para Atico - na costa de Arequipa, ao sul do país - embora o nível do mar em Ilo (Moquegua, outro departamento do sul) tenha crescido 20 centímetros enquanto aconteciam as réplicas do tremor.

Precaução nas Islas Galápagos

S. COSTANTE / Quito

A alerta de tsunami em Ecuador continental passou de vermelha a amarela, segundo informou o Comité de Operaciones de Emergencias. No entanto, nas Islas Galápagos continua a alerta vermelha e as tarefas de evacuação continuam. María Isabel Salvador, presidenta do Consejo de Gobierno de Galápagos, disse à imprensa local que se pediu aos habitantes das quatro ilhas povoadas que se dirijam às partes altas e seguras das ilhas. Além disso, as autoridades insulares pediram que as embarcações sejam sacadas a mar aberto (a pelo menos 20 milhas da costa) e que permaneçam ali até passada a meia noite. O presidente Rafael Correa pediu através de em sua conta de Twitter que se mantenha a atenção na costa.

Em Tacna, o departamento que faz fronteira com o Chile, a eletricidade retornou entre duas e três horas após o sismo, dependendo da província ou distrito. A Radio Uno informou sobre o desabamento de muros nos distritos Gregorio Albarracín e Pocollay.

A diretora regional de Educação desse departamento, Magda Portugal, suspendeu as aulas em escolas públicas e privadas na quarta-feira para que os diretores possam avaliar o dano nos locais.

O motorista do programa musical Voces Andinas, da principal emissora da cidade de Arequipa, Radio Yaraví, afirmou ao EL PAÍS que depois do terremoto houve suspensão da telefonia móvel, mas o sinal retornou pouco depois de uma hora. “O movimento afetou mais fortemente Tacna”, disse ele.

Os peruanos souberam do alerta de tsunami em seus portos pelas informações vindas do Chile. Depois, Colbert Ruiz, encarregado da Informação da Marinha de Guerra do Peru, destacou que a instituição estava “gerando um alerta de atenção, e que isso não significava a chegada e a confirmação”, do tsunami declarou a RPP Noticias de Lima.

Na capital Lima, o tremor não foi sentido. Mas, uma hora depois, no distrito de Miraflores membros da polícia autárquica e supervisores de transporte cortaram o acesso à estrada que fica na beira do mar “por precaução do tsunami”, disseram.