ADEUS AO EX-PRESIDENTE ESPANHOL

O aeroporto madrilenho de Barajas passará a se chamar Adolfo Suárez

Ministério do Desenvolvimento assina uma ordem para renomear o principal terminal aeroportuário do país, atendendo a uma proposta feita pelo chefe de Governo, Mariano Rajoy

Interior do terminal 4 do aeroporto de Barajas, em Madri.
Interior do terminal 4 do aeroporto de Barajas, em Madri.CARLOS ROSILLO

O Ministério do Desenvolvimento da Espanha, a pedido do presidente do Governo, Mariano Rajoy, aprovou uma ordem ministerial pela qual se modifica a denominação oficial do Aeroporto de Madri-Barajas, que passará a se chamar aeroporto Adolfo Suárez, Madri-Barajas em homenagem ao ex-presidente falecido neste domingo.

"O presidente Adolfo Suárez desempenhou um papel fundamental na história da Espanha. Sua envergadura moral e o seu sentido de Estado foram chaves no sucesso da Transição espanhola e da Democracia. Seu trabalho foi essencial para culminar uma das maiores conquistas obtidas pela Espanha como país: a Constituição de 1978", lembra a pasta na nota em que divulgou a mudança de nome.

"Por isso, e para honrar sua memória, são obrigatórias as expressões de reconhecimento e respeito à grandeza, o esforço e ao papel histórico do primeiro presidente de nossa democracia", acrescenta na nota o ministério.

Antes de a notícia ser confirmada, a prefeita de Madri, Ana Botella, mostrou-se confiante de que os madrilenhos ficarão "contentes" com a mudança, porque Barajas é um local "emblemático" tanto para a capital como para a Espanha. Com a modificação, Suárez será o segundo espanhol a dar nome a um aeroporto, junto com o poeta Federico García Lorca, que desde 13 de junho de 2006 é homenageado no aeroporto de Granada-Jaén.

Além disso, há outras duas pessoas associadas aos nomes dos aeroportos espanhóis. Tratam-se de Pablo Ruiz Picasso, com o aeroporto de Málaga, e o da rainha Sofia, com o de Tenerife Sul, embora nesses casos a denominação não seja oficial, ao contrário do que ocorre com Granada-Jaén.

O aeroporto madrilenho sempre se chamou Barajas desde que entrou em funcionamento em 1931. Em 2013, movimentou mais de 39,7 milhões de passageiros, o que o coloca no quarto maior da Europa em tráfego.

Arquivado Em: