Transportes grátis em Paris em um alerta contra a poluição

A prefeitura toma medidas urgentes para lutar contra os altos índices de poluentes

À esquerda, a ministra da Justiça da França, Christiane Taubira, sai de bicicleta com sua escolta do Eliseo de Paris, após visitar o presidente François Hollande.
À esquerda, a ministra da Justiça da França, Christiane Taubira, sai de bicicleta com sua escolta do Eliseo de Paris, após visitar o presidente François Hollande.ALAIN JOCARD (AFP)

Paris viveu neste ano um dos invernos mais benignos do último século e já faz algumas semanas que a cidade é banhada por um sol raro e um céu muito azul. Mas a longa pressão atmosférica, sem chuva nem vento, aumentou os níveis de poluição da cidade da Luz até níveis nocivos para a saúde. Na quinta-feira, a prefeitura tomou várias medidas urgentes para tratar reduzir o tráfego: redução da velocidade em todas as estradas nacionais e regionais e na região periférica; e aluguéis gratuitos de bicicletas e carros elétricos para os assinantes, bem como para os estacionamentos e os transportes oficiais. As medidas estarão em vigor enquanto dure o estado de emergência.

Os níveis de partículas finas em suspensão bateram na quinta-feira, pelo terceiro dia consecutivo, um recorde histórico na capital francesa, mas também alcançaram índices muito elevados na região da Ille de France e em mais de um terço do território nacional, situado na parte central e norte do país.

A prefeitura de Paris decidiu deixar nas garagens todos os veículos oficiais e ferramentas de manutenção que não sejam elétricos e estritamente indispensáveis, enquanto os médicos aconselhavam que os as pessoas não fizessem longos passeios –especialmente os menores de seis anos-, não fizessem esforços físicos muito intensos –inclusive nas bicicletas- e não ventilassem as casas nas horas centrais do dia para evitar que o pólen da primavera precoce se misture com a poluição.

Apesar das restrições ao tráfego e da gratuidade dos transportes públicos, se os riscos para a saúde continuarem sendo altos, a prefeitura e o prefeito poderiam se ver obrigados a começar um rodízio de carros.

Os serviços oficiais de aluguel de bicicletas –Velib- e de carros elétricos -Autolib- registraram nesta sexta-feira seus usos completos: o uso das bicicletas aumentou 62%, enquanto os carros, que são grátis somente para seus 103.000 assinantes, foram todos alugados. Para dar exemplo, a ministra da Justiça, Christiane Taubira, chegou em bicicleta com suas duas escolta para visitar ao presidente François Hollande no Eliseo.

Arquivado Em: