Preso na Espanha imigrante que tentava entrar no país em uma mala

O estrangeiro que carregava a mala fugiu e deixou atirada no chão a bolsa, que continha um africano de 19 anos

As suspeitas recaem sobre uma mala azul. Às duas e meia da tarde da sexta-feira, um polícia civil observa com estranheza como um marroquino de 39 anos transporta à força uma mala de grandes dimensões pelo centro de triagem de pessoas de Beni Enzar, no posto fronteiriço que separa Melilha do país vizinho. O agente percebe que o peso está mal distribuído no interior e que o homem anda aos tropeços, de modo que decide pará-lo. “Chamei-o várias vezes para inspecionar sua bagagem, mas essa pessoa ignorou os avisos”, explicaram neste domingo fontes do centro de triagem. Diante da insistência, o estrangeiro empreendeu uma fuga repentina em direção à cidade autônoma e deixou atirada no chão a mala, que continha um africano de 19 anos que pretendia entrar de maneira ilegal na Espanha.

“Alto, magro e de uma complexão física imponente. Não estamos falando de uma pessoa pequena”, disse sobre o imigrante o porta-voz da Policia civil, Juan Antonio Martín Rivera, que detalhou também como os agentes perseguiram o fugitivo e como o interceptaram já dentro de Melilha, a 150 metros do posto de controle. Prenderam-no e conduziram-no às dependências policiais. Ali, na sua presença, abriram a mala. E, surpreendidos, os policia civis acharam o jovem.

Mais informações

Trata-se de um rapaz sem documentos que afirma ser do Mali e que vestia uma calça esportiva e camiseta azul. “Este garoto, que é uma vítima, não pediu auxílio médico, de modo que foi entregue ao Corpo Nacional de Polícia (CNP)”, disse. O jovem, que se encontra no Centro Provisório de Imigrantes (CETI, na sigla em espanhol), passou a ficar à disposição da Justiça na qualidade de testemunha. E a mala, como prova.

O marroquino -que responde pelas iniciais N. N. e tem residência legal em Lérida- também não se livrou da prisão. A Polícia civil o acusa de um crime contra os direitos dos estrangeiros. “Até agora, essa foi a primeira vez que vimos uma tentativa irregular com essas características, embora há dois anos tenha ocorrido um caso parecido. Localizamos um outro imigrante no porta-mala de um carro, escondido em um saco grande”, afirmou Rivera. Nessa ocasião, o agente viu que algo se movia e resolveu abrir a bagagem. Em um primeiro momento, pensou que podia se tratar de um animal protegido. Mas, para sua “surpresa”, encontrou um imigrante.

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete
O mais visto em ...Top 50