Carme Ruscalleda, a chef com mais estrelas do mundo

Com as duas estrelas recebidas por seu restaurante, o Sant Pau de Tóquio, no guia Michelin 2014, a chef catalã acumula já sete prêmios

A chef Carme Ruscalleda, em Sant Pol de Mar, onde se localiza seu restaurante Sant Pau.
A chef Carme Ruscalleda, em Sant Pol de Mar, onde se localiza seu restaurante Sant Pau.

A chef catalã Carme Ruscalleda recebeu duas estrelas por seu restaurante Sant Pau de Tóquio, segundo a qualificação do guia Michelin 2014. Com esse reconhecimento, a chef se torna a profissional com mais estrelas do mundo, sete: três por seu restaurante Sant Pau de Sant Pol de Mar, dois pelo Moments (em Barcelona, cujo seu filho Raül Balam é o chefe de cozinha), e outras duas agora em seu espaço japonês.

No escasso panorama de mulheres no top da fama gastronômica, Ruscalleda supera agora a chef francesa Anne-Sophie Pic, com quem estava empatada com seis estrelas. Na Espanha, o nível de estrelato de Ruscalleda é como o do chef Martín Berasategui, com sete prêmios acumulados em seus diferentes restaurantes.

“Estamos muito contentes, porque, por trás disso, há um trabalho muito grande e muito sólido”, declarou a cozinheira, que voltou há poucos dias do Japão (onde vai todos os anos nos períodos em que o Sant Pol está fechado). “Eu incentivei toda a equipe, porque os vi muito animados, muito satisfeitos com o trabalho. Disse-lhes ‘se não nos derem outra estrela, tudo bem'. Seguimos adiante, mas creio que ganharemos’. E assim foi. Brindamos aqui e lá”, comenta Ruscalleda em conversa por telefone. E por telefone e pelo cyber espaço as duas equipes se comunicaram, para celebrar a boa notícia.

Um dos mais contentes é o chefe de cozinha Jérôme Quilbeuf, atualmente em Sant Pol de Mar e que comandou os fogões em Tóquio durante quatro anos. Em 2011, quando o desastre do terremoto e o tsunami afetou a vida no Japão em todos os níveis, incluindo os restaurantes, Quilbeuf voltou a Tóquio para apoiar a equipe, integrada exclusivamente por japoneses. Na renascença do Sant Pau, que perdeu a segunda estrela obtida em 2009, teve papel importante junto a Quilbeuf o cozinheiro japonês Yosuke Okazaki (Kamakura, 1979). “A equipe é magnífica, está muito coesa e muito otimista com seu trabalho”, frisa Carme Ruscalleda, contente com o triunfo de ter recuperado a estrela perdida.

Carme Ruscalleda, com seu chefe de cozinha japonês Yosuke Okazaki.
Carme Ruscalleda, com seu chefe de cozinha japonês Yosuke Okazaki.

A cozinha mediterrânea adaptada ao Japão segue sendo a linha do restaurante, embora o sotaque tenha ficado cada vez mais japonês. “foi por influência natural, pela realização de uma cozinha de proximidade, e os ingredientes que temos à mão são magníficos”, diz a chef. Um aperitivo que estreia em dezembro no menu de Tóquio simboliza essa subida: champignon marinado com missô.

O restaurante Sant Pau de Tóquio, localizado na zona central de Nihonbashi, reproduz esteticamente o local atraente do espaço na localidade costeira de Sant Pol de Mar, com a diferença de que, no Japão, a cozinha olha para um jardim, e na Catalunha, para o mar. O nipo Sant Pau completará dez anos em abril do ano que vem.

Tóquio conta com 14 restaurantes com três estrelas no guia Michelin de 2014 (uma a menos que na edição 2013). Segue mantendo suas três estrelas o veterano mestre de sushi Jiro Ono, com seu restaurante Sukiyabashi Jiro Honten, situado na estação de metrô de Ginza; também estão no pódio de três estrelas Seiji Yamamoto, com seu Ryugin e o restaurante do francês Joël Robuchon.

Na comparativa internacional, a Espanha tem oito três estrelas, o Reino Unido quatro, Nova York sete, Alemanha 11, e Paris, ainda à espera do anúncio da Michelin 2014, tem 10 restaurantes com três estrelas.

Arquivado Em: