Polícia confirma que detido é autor dos disparos contra o jornal ‘Libération’

Abdelhakim Dekhar foi condenado em 1998 como cúmplice de um casal de jovens que aspiravam ser ladrões de bancos e mataram um taxista e três polícias em 1994

París -
Imagem de Abdelhakim Dekhar, que participou de um outro crime célebre em 1994
Imagem de Abdelhakim Dekhar, que participou de um outro crime célebre em 1994EL PAÍS

O homem mais procurado da França foi detido ontem à noite em Bois-Colombes, na periferia noroeste de Paris, e se trata de um velho conhecido da polícia, da justiça e da opinião pública. O suposto autor do ataque armado contra Libération, que deixou ferido um jovem fotógrafo que colaborava com o diário, se chama Abdelhakim Dekhar, tem 47 anos e é um ex-presidiário célebre: foi condenado em 1998 como cúmplice de Florence Rei e Audry Maupin, um casal de jovens exaltados que aspiravam ser ladrões de bancos e que mataram a um taxista e a três polícias em 1994, protagonizando um acontecimento que inspirou a literatura, dramas, programas de televisão e filmes em abundância. A análise de DNA confirmou que o detento é a mesma pessoa que atacou Libération.

Dekhar, alias Toumi, nascido em 1965 em Algrange (Moselle), foi condenado há 15 anos por facilitar o acesso de  Rei, com 19 anos na época, e o seu louco amante Maupin, de 22, a escopetas –uma delas do calibre 12, como a que ele mesmo usou na segunda-feira em Libération. Os imitadores de Bonnie & Clyde com conexões anarquistas e de extrema esquerda usaram as armas para abater quatro vítimas há quase 20 anos.

O suspeito, cuja identidade foi revelada ontem à noite, foi detido para as sete da tarde em circunstâncias bastante estranhas. Um homem que disse dividir sua casa com ele se apresentou em uma delegacia e contou que, falando do caçador solitário que na segunda-feira semeou o pânico em Paris, seu conhecido lhe tinha confessado que cometia “ uma estupidez”.

A arma que o atirador usou era uma escopeta de caça calibre 12, com os canos cortados, que pode serve para caçar um javali 

O cidadão acompanhou os agentes até um estacionamento subterrâneo de Bois-Colombes, que localizaram Abdelhakim Dekhar em um carro em estado de coma, quase inconsciente; segundo os policiais, os pesquisadores não puderam o interrogar nem notificar seus direitos porque ele tinha tentado se suicidar ingerindo medicamentos.

A arma que ele portava é uma escopeta de caça do calibre 12, com os canhões recortados, que pode ser carregada com munições para a caça de javali

Dekhar foi transferido em uma ambulância até um hospital para ser interrogado sob supervisão médica, segundo confirmou o prefeito de Bois-Colombes, Yves Révillon, a alguns jornalistas presentes no local da detenção.

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS