Ante a onda de populismo nacionalista

Vitória de Donald Trump deveria levar as grandes democracias do mundo, com a Europa à frente, a assumir um papel maior na defesa da ordem liberal

O voto estratégico dos ingleses

Como inglês, quero que Escócia permaneça unida à Inglaterra, que o Reino Unido fique na UE, e que nossa sociedade combine eficácia com justiça social e a maior liberdade individual possível

A Ucrânia não pode transformar-se em uma Síria

O caminho para alcançar qualquer acordo de paz e assim desbloquear a situação pode ser resumido em 14 palavras: Putin tem que retirar suas forças, e Kiev recuperar o controle da fronteira oriental

Um Plano Merkel para a Ucrânia e a Europa

A UE precisa cultivar um rosto liberal frente à receita conservadora e nacionalista com propostas de longo prazo. Diante de uma Rússia expansionista, seus instrumentos devem ser políticos e econômicos antes que militares

A guerra que podemos parar

A Europa pode punir a Rússia e apoiar a Ucrânia para que obtenha o acordo interno mais generoso possível. Se deixarmos que as batalhas locais se prolonguem, acabaremos sendo abatidos enquanto voamos no MH17

A doutrina do ressentimento

Putin defende a ideia de que a Rússia tem a responsabilidade de proteger todos os russos que estão no estrangeiro, e ele decide quem é russo e quem não é. Mas ‘proteger’ os russos na Ucrânia tem consequências fatais

‘Esses malditos estrangeiros’

A entrada de estudantes no Reino Unido não pode ser abordada com os velhos preconceitos

O dia que mudou o mundo

Europa e China adotaram rumos muito diferentes há 25 anos

A Europa conseguirá acordar?

O sinal de alarme tocou: o resultado das eleições foi um choque que abriu caminho para uma coalizão de descontentes de todas as cores e ideologias A solução não está nas velhas formas de fazer política

A mais crucial das eleições na Europa

Nenhuma das eleições realizadas nesta semana importa tanto como a da Ucrânia. Devemos esperar pouco da União Europeia, mas a Alemanha tem a chance de mostrar se quer exercer a sua responsabilidade internacional

Da fatwa ao WhatsApp

Salman Rushdie foi condenado à morte por Khomeini há um quarto de século, o mesmo ano em que caía o muro de Berlim, havia uma matança na praça Tiananmen e surgia a web. O que mudou até hoje?

Haverá mais Ucrânias

Vladimir Putin tem mais admiradores do que caberia imaginar entre várias potências emergentes que não esquecem o colonialismo. O Ocidente enfrenta além do mais o ressentimento de Moscou pela perda do seu império

O experimento do século

O Politburo deixou claro que as reformas políticas chinesas serão feitas sob o controle do Partido Comunista. A pergunta é se o país superará os desafios cada vez mais difíceis da modernização contínua

A briga de Kiev acaba de começar

Putin utilizou uma retórica mais própria de 1914 que de 2014 e acelerou a guerra da Crimeia, já finalizada. O Ocidente deve se concentrar agora na luta para obter a integridade política do resto da Ucrânia

Ucrânia, Crimeia e a dissolução dos impérios

Permanecer juntos de maneira pacífica ou obrigados não é a mesma coisa

O que está em jogo na Ucrânia

Do futuro do país até o da própria Europa, passando pelo destino da Rússia e do presidente Putin, essas são as questões que se tem de levar em conta ao contemplar o drama da insurreição

Que a Ucrânia não caia no precipício

Não nos deixemos confundir pelos extremistas que montaram as barricadas nas recentes manifestações. A Europa tem um interesse fundamental em que esse país consolide seu caminho até a democracia