China fecha suas fronteiras a estrangeiros por causa do coronavírus

Medida, que inclui cidadãos residentes e visitantes com vistos emitidos antes do anúncio, entrará em vigor no próximo sábado

Um viajante chega ao aeroporto Pudong, em Xangai.
Um viajante chega ao aeroporto Pudong, em Xangai.HECTOR RETAMAL (AFP)
Mais informações
Workers prepare an emergency field hospital to house coronavirus patients for their isolation and recovery with a capacity of over 2000 beds at the Anhembi Convention Center, in Sao Paulo, Brazil on March 26, 2020. (Photo by NELSON ALMEIDA / AFP)
AO VIVO | Últimas notícias sobre o coronavírus no Brasil e no mundo
A girl dressed in traditional attire to celebrate "Gudi Padwa", or the Marathi New Year, stands by a window and holds a placard with an acronym for the Coronavirus that reads in hindi "Nobody should come out on the roads," in Mumbai, India, Wednesday, March 25, 2020. The world's largest democracy went under the world's biggest lockdown Wednesday, with India's 1.3 billion people ordered to stay home in a bid to stop the coronavirus pandemic from spreading and overwhelming its fragile health care system as it has done elsewhere. For most people, the new coronavirus causes mild or moderate symptoms, such as fever and cough that clear up in two to three weeks. For some, especially older adults and people with existing health problems, it can cause more severe illness, including pneumonia and death. (AP Photo/Rafiq Maqbool)
Coronavírus confina um terço da humanidade
View of the empty Republica de los Ninos amusement park in La Plata, Argentina on March 24, 2020 during the outbreak of the new Coronavirus, COVID-19. - Argentina's population has been placed  under "preventive and compulsory" lockdown from March 20 to 31 to stop the spread of the coronavirus pandemic. (Photo by RONALDO SCHEMIDT / AFP)
Como acabam as epidemias

A China proibirá a partir da meia-noite do próximo sábado a entrada no país de todos os estrangeiros, incluídos aqueles que tenham um visto ou uma autorização de residência válido, a fim de se blindar do coronavírus, conforme anunciou o Ministério de Relações Exteriores em um comunicado emitido no final da noite desta quinta-feira (hora local). As únicas exceções serão os diplomatas e portadores de passaportes de serviço ou cortesia.

Os estrangeiros que precisarem se deslocar para a China por “necessidades econômicas, comerciais, científicas ou tecnológicas, ou por razões humanitárias de emergência, poderão solicitar vistos nas embaixadas e consulados chineses”, afirma o comunicado. “A entrada de estrangeiros com vistos emitidos depois deste anúncio não será afetada” pela proibição, acrescenta.

Depois de ter dado o vírus como controlado no seu foco original, a província de Hubei, a China tinha endurecido gradualmente as condições de quarentena para os viajantes procedentes do exterior nas últimas duas semanas, ante o aumento dos casos “importados” e pelo temor a que os vindos de fora pudessem propagar uma segunda onda do coronavírus que neste país infectou quase 82.000 pessoas e causou a morte de mais de 3.200. Até o momento, foram detectados mais de 400 casos nessa segunda onda, a grande maioria deles em cidadãos chineses que retornavam ao seu país.

Cidades como Pequim atualmente impõem uma quarentena obrigatória de 14 dias pra os viajantes recém-chegados, a ser cumprida em centros determinados pelas autoridades locais e por conta da pessoa afetada. Nesta quinta-feira, o Governo chinês tinha restringido também os voos procedentes do exterior a um só por país e por semana, com a obrigação de não preencher mais de 75% dos assentos.

“A suspensão é uma medida temporária que a China se viu obrigada a adotar à luz da situação da pandemia e das práticas de outros países. A China se manterá em estreito contato com todas as partes e administrará os intercâmbios de pessoal com o resto do mundo sob estas circunstâncias especiais”, prossegue o comunicado. O fechamento aos cidadãos estrangeiros “irá sendo calibrado à luz de como a situação evoluir”.

Numerosos países cancelaram voos e anunciaram, no começo da epidemia na China em janeiro, o fechamento de suas fronteiras aos estrangeiros que tivessem estado no país asiático nos 14 dias anteriores à sua chegada. Na época, Pequim expressou seu descontentamento com medidas desse tipo, em especial o fechamento das fronteiras por parte dos Estados Unidos.

Informações sobre o coronavírus:

- Clique para seguir a cobertura em tempo real, minuto a minuto, da crise da Covid-19;

- O mapa do coronavírus no Brasil e no mundo: assim crescem os casos dia a dia, país por país;

- O que fazer para se proteger? Perguntas e respostas sobre o coronavírus;

- Guia para viver com uma pessoa infectada pelo coronavírus;

- Clique para assinar a newsletter e seguir a cobertura diária.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS