Opinião
i

Pauta anticorrupção, decisiva nas últimas eleições, parece ter sido esquecida

Tentativas de interferência na Receita Federal e nomeações políticas na Polícia Federal são alguns dos tantos retrocessos que o Brasil vive

Bolsonaro com o recém-nomeado chefe da Polícia Federal, Rolando Alexandre de Souza.
Bolsonaro com o recém-nomeado chefe da Polícia Federal, Rolando Alexandre de Souza.Isac Nobrega/Palacio Planalto/dp / DPA / Europa Press

Um estudo publicado pela Fundação Getúlio Vargas, no ano de 2011, concluiu que a eficácia do sistema judicial no combate à corrupção no Brasil é “desprezível”, pois “a chance de um servidor público corrupto ser criminalmente processado é muito menor que 34,01%, (...) além disso, a chance de ser efetivamente condenado criminalmente é de meros 3,17%”. Como consequência da pequena eficácia do sistema de persecução criminal, especialmente em se ...

Mais informações