Meghan Markle e príncipe Harry anunciam o nascimento de sua filha Lilibet Diana Mountbatten-Windsor

Nome da pequena, o segundo bebê do casal, é uma homenagem à rainha Elizabeth II e à sua avó, Diana de Gales. Ocupa o oitavo posto na linha de sucessão ao trono

Harry e Meghan, os duques de Sussex, em março em Londres.
Harry e Meghan, os duques de Sussex, em março em Londres.HENRY NICHOLLS (Reuters)

Meghan Markle e princípe Harry da Inglaterra anunciaram neste domingo o nascimento da segunda filha, Lilibet Diana Mountbatten-Windsor. A menina, que nasceu na sexta, chega dois anos depois de seu irmão mais velho, Archie, que nasceu em Londres em maio de 2019, apenas um ano depois do casamento dos duques de Sussex no castelo de Windsor. Os duques de Sussex anunciaram a chegada da pequena em um comunicado. A gravidez foi tornada pública em 14 de fevereiro, primeiro na revista People, para depois estendê-la ao restante da imprensa com duas fotografias em preto e branco do fotógrafo Misan Harriman. O bebê nasceu em um hospital de Santa Barbara (Califórnia, Estados Unidos) na sexta-feira. “Em 4 de junho fomos abençoados com a chegada de nossa filha Lili. Ela é mais do que poderíamos ter imaginado, e continuamos agradecidos pelo amor e as orações que sentimos em todo o mundo”, escreveram os duques no comunicado.

A menina nasceu na Califórnia, onde o casal vive há pouco mais de um ano, e se transforma na 11º bisneta da rainha Elizabeth II. O nome de Lilibet Diana Mountbatten-Windsor é uma homenagem à própria rainha Elizabeth II —Lilibet é o apelido carinhoso com o qual a família se dirige à monarca —e à sua avó, Diana de Gales.

Mais informações

Por enquanto, a família real britânica não se pronunciou a respeito em seus perfis das redes sociais. É lá que costumam comunicar as gravidezes de seus integrantes, assim como os novos nascimentos, mas desde março de 2020 Harry e Meghan já não são membros de pleno direito dos Windsor ao decidir abandonar a instituição dois meses antes. Já não têm vínculo de trabalho com a família e renunciaram aos seus títulos de altezas reais (mantêm o de duques por ser um presente da rainha pelo casamento), de modo que a comunicação por parte da família real seria unicamente de cortesia.

Ainda que Harry não seja parte efetiva da família real, não renunciou aos seus direitos dinásticos. A menina, portanto, ocupa o oitavo lugar na linha de sucessão ao trono após seu avô, o príncipe Charles; seu tio William e seus primos George, Charlotte e Louis; e de seu pai Harry e seu irmão Archie.

O que a pequena não será é princesa. Na polêmica entrevista que Meghan Markle e Harry da Inglaterra concederam a Oprah Winfrey em março, a ex-atriz se queixou de que o palácio real não quis conceder a Archie o título de príncipe quando nasceu e que isso prejudicou suas opções em relação à segurança do garoto. Uma lei de 1917, entretanto, diz que os filhos e netos do soberano têm direito ao título de príncipe (da mesma forma que têm direito a renunciar a ele), mas não seus bisnetos, como seria o caso de Archie e de sua irmã mais nova. Os filhos de William podem ser príncipes porque ele é o herdeiro direto ao trono. E, quando Charles for rei, os filhos de Harry também poderão ser príncipes, se eles e seus pais, caso sejam menores de idade, o desejarem.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: