_
_
_
_
_

Trump começa a preparar candidatura de 2024: “Vejo vocês em quatro anos”

Em ato com republicanos na Casa Branca, presidente insinua que voltará à linha de frente na próxima eleição presidencial

Donald Trump durante um comício no Arizona em 28 de outubro.
Donald Trump durante um comício no Arizona em 28 de outubro.TOM BRENNER (Reuters)
Mais informações
Ivanka Trump planeja como se reinventar para manter o poder e a fortuna
(FILES) In this file photo US President Donald Trump arrives for a Make America Great Again rally at Laughlin/Bullhead International Airport October 28, 2020, in Bullhead City, Arizona. - Donald Trump -- who finds himself more and more isolated, with his quixotic quest to overturn Joe Biden's election victory squashed at every turn -- is openly musing about a second run at the US presidency in 2024. "It's been an amazing four years. We are trying to do another four years. Otherwise, I'll see you in four years," he told guests at a White House Christmas party on December 1, 2020. (Photo by Brendan Smialowski / AFP)
Trump, o perdedor que odiava os perdedores
Trump convirtió a este antiguo vendedor de coches usados en el rostro de los estadounidenses obreros que componen su “movimiento”. Durante un mitin en febrero del año pasado, el presidente le invitó a subir al escenario y Huber se fundió en un abrazo con él. Con las cámaras en vivo Huber le profesó su fidelidad: "Nosotros el pueblo, nuestro movimiento, somos la razón por la que nuestro presidente de EEUU está de pie aquí enfrente de nosotros hoy. Cuando el presidente Trump durante la elección prometió todas las cosas que iba a hacer por nosotros, sabía que iba a hacerlo por nosotros". Aquel minuto de fama le cambió la vida a Huber que abandonó su trabajo. Ahora transmite un show diario en redes sociales y da la vuelta por el país como “embajador del trumpismo”.
A Base: o perigo que sobreviverá a Trump

Quando um presidente norte-americano vê seu tempo na Casa Branca se aproximar do final, começa a trabalhar no seu legado: criar uma fundação, abrir uma biblioteca, escrever memórias, esse tipo de coisa. Donald Trump parece estar decidido a romper também essa convenção e já aponta abertamente uma etapa pós-presidencial na linha de frente da luta política, com a possibilidade inclusive de voltar a disputar o cargo em 2024. “Foram quatro anos fabulosos, estamos tentando ter outros quatro anos. Se não for assim, vejo vocês em quatro anos”, disse na terça-feira à noite em uma festa de Natal antecipada com membros do Comitê Nacional Republicano, como mostra o vídeo do evento publicado no site Politico e corroborado pelo relato de vários presentes compartilhado com o canal Fox.

O encontro ocorreu horas depois de o secretário de Justiça, William Barr, impor o enésimo e mais duro revés até agora ao presidente em sua cruzada judicial contra a vitória eleitoral do democrata Joe Biden. Barr, importante aliado de Trump no Executivo, afirmou à agência Associated Press que o Departamento de Justiça não encontrou provas dessa fraude maciça que o republicano denuncia, ainda obstinado em não reconhecer que seu rival eleitoral foi eleito presidente. Entretanto, com a bandeira dessa batalha judicial contra uma suposta fraude generalizada, Trump arrecadou até agora cerca de 170 milhões de dólares, dos quais a maior parte acabou engrossando um comitê destinado a financiar suas futuras atividades políticas, sob o nome de Salvar a América.

É mais um sinal de que o magnata nova-iorquino não pensa em desaparecer do cenário político depois de 20 de janeiro, quando Biden assumirá o mandato. Ele quer manter mobilizados esses 74 milhões de pessoas que votaram nele. A possibilidade de uma nova candidatura de Trump em 2024 começou a ser mencionada pouco depois da votação de 3 de novembro, a partir de declarações de seu círculo, sob condição de anonimato. Também amigos e outras pessoas próximas à sua filha, Ivanka Trump, que desempenhou o cargo de assessora presidencial nestes quatro anos, afirmaram a diferentes veículos de comunicação que ela também cogita um voo próprio na política. Outros Trumps ―como Donald Júnior, o mais velho entre os homens, e Lara, esposa de seu filho Eric —já consideraram a possibilidade de se lançar a diversos cargos eletivos.

A declaração de terça à noite foi a primeira manifestação pública das futuras intenções de Trump, de quem, em todo caso, não se espera uma aposentadoria discreta em sua mansão de Mar-a-Lago, na Flórida. O perfil que ele adotar, mais ou menos influente, marcará o processo de transição a ser aberto no Partido Republicano para as próximas eleições, algo semelhante ao que o Partido Democrata viveu após sua derrota de 2016.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
_
_