Forte terremoto sacode o México

Sismo de 7,5 graus registrado no Estado de Oaxaca deixa pelo menos um morto e um ferido

Moradores do bairro de Colonia Narvarte, na Cidade do México, saem para a rua durante o tremor de 7,5 graus nesta terça.

Um forte terremoto foi registrado nesta terça-feira no sul do México, com epicentro 23 quilômetros ao sul do município de Crucecita, no Estado de Oaxaca. O abalo foi sentido em seis Estados do país e também na Cidade do México, onde foi ativado o alerta sísmico. As autoridades mexicanas informaram que o tremor deixou um morto e um ferido em Oaxaca e causou prejuízos materiais leves, como danos em muros e edifícios na capital de Oaxaca e em povoados litorâneos, próximos do epicentro. O terremoto, de 7,5 graus, não provocou grandes danos na capital do país, informou a chefa do Governo municipal, Claudia Sheinbaum, depois de uma primeira inspeção aérea. No entanto, vários helicópteros da polícia continuavam fazendo voos de inspeção várias horas depois do sismo.

Tremores fortes como o desta terça-feira trazem à lembrança os terremotos de 2017. Em setembro daquele ano, dois movimentos sísmicos atingiram precisamente a costa de Oaxaca e também os Estados de Puebla e Morelos, além da Cidade do México. Mais de 350 pessoas perderam a vida e milhares ficaram feridas. Aqueles foram os terremotos mais graves no país desde o de 1985. Em 2017, uma das críticas foi a lentidão do sistema de alarmes sísmicos, principalmente na Cidade do México, onde caíram casas e edifícios. Desta vez, o alerta foi ativado instantes antes que a terra começasse a se mover na capital. Isso permitiu que muitos moradores testemunhassem o fenômeno já fora de suas casas, escutando, da rua, construções rangendo e janelas se quebrando.

Minutos depois do terremoto, o presidente Andrés Manuel López Obrador publicou dois vídeos em sua conta no Twitter. O mandatário aparece no Palácio Nacional, falando por telefone com o coordenador nacional de Defesa Civil, David León. “Até agora, não recebemos relatos de danos”, disse o presidente. “Não temos comunicação com Oaxaca, de qualquer forma, todo mundo deve se manter fora de casa para ficar a salvo de qualquer réplica”, acrescentou ele no pátio do edifício-sede do Executivo.

Claudia Sheinbaum também publicou um vídeo da sede do C-5, o órgão que controla as câmeras de vigilância da capital mexicana e várias imagens de outros sistemas de monitoramento. De lá, a chefa do Governo municipal enviou sua primeira mensagem: “Até o momento não foram relatados grandes danos, apenas a queda de alguns muros e fachadas”.

O Governo mexicano assinalou que o sismo foi sentido em seis Estados do centro e sul do país. Oaxaca, o Estado do epicentro, foi o mais afetado, segundo as primeiras informações das autoridades. O governador de Oaxaca, Alejandro Murat, confirmou a uma rádio que o terremoto deixou pelo menos uma pessoa morta e outra ferida no município litorâneo de Huatulco. As autoridades estaduais também estão inspecionando danos em casas e edifícios de várias outras localidades do Estado, localizado na costa do Pacífico. Algumas construções e muros em mau estado na cidade de Oaxaca caíram.

O Serviço Sismológico do México localizou o epicentro do terremoto, ocorrido pouco antes das 10h30 (12h30 no horário de Brasília), 5 quilômetros sob a superfície terrestre, no município de Crucecita. O Instituto Geológico dos Estados Unidos (USGS, na sigla em inglês) aumentou a profundidade para mais de 23 quilômetros e reduziu a magnitude para 7,4 graus.

A Administração Nacional Oceânica e Atmosférica (NOAA) dos Estados Unidos emitiu uma alerta de tsunami para áreas costeiras do México, Guatemala, Honduras e El Salvador, diante da possível chegada de fortes ondas. No entanto, o Governo de Oaxaca descartou o alerta de tsunami para as costas do Estado. Murat disse à imprensa local que o mar poderia subir cerca de 110 centímetros depois do terremoto, mas descartou a possibilidade de um maremoto para as horas posteriores. O Serviço Sismológico do México registrou, até pouco mais de um hora depois do tremor, 147 réplicas, a maior delas de 4,6 graus. 


Mais informações

O mais visto em ...

Top 50