Papa pede desculpas por “ter perdido a paciência” ao repreender uma mulher que o agarrou pelo braço

Francisco deu um tapa na mão de uma fiel que o puxou bruscamente enquanto ele cumprimentava o público na praça de São Pedro, nesta terça-feira

O papa Francisco celebra a primeira missa do ano, no Vaticano.
O papa Francisco celebra a primeira missa do ano, no Vaticano.ANGELO CARCONI (EFE)
Agências El País
Cidade do Vaticano / Madri -

O papa Francisco se desculpou nesta quarta-feira, antes da tradicional oração do Angelus, por ter “perdido a paciência” e dado um tapa na mão de uma fiel que o puxou bruscamente ao saudá-lo. “Tantas vezes perdemos a paciência. Também acontece comigo. Peço desculpas pelo mau exemplo dado ontem”, declarou o pontífice de uma janela do palácio apostólico na praça de São Pedro, no Vaticano.

Mais informações

O incidente ocorreu na noite anterior, na mesma praça, quando o papa, visivelmente contrariado, repreendeu uma mulher que o agarrou bruscamente pela mão e o puxou na sua direção enquanto ele cumprimentava os fiéis, após celebrar a última missa do ano.

A mulher, de traços asiáticos, estava na primeira fila detrás das barreiras metálicas de segurança instaladas na praça. Quando Francisco passou ao seu lado, ele pegou a mão dele e o puxou repentinamente em sua direção. O papa tentou imediatamente escapar da mulher e, depois de conseguir, deu um leve tapa na sua mão, em sinal reprimenda, enquanto seus agentes de segurança se aproximavam para socorrê-lo, embora não tenham tido que intervir. Quando o incidente ocorreu, o pontífice argentino acabava de chegar à praça de São Pedro para visitar a árvore de Natal e o presépio instalados durante esta época do ano.

O papa celebrou nesta quarta-feira a primeira missa do ano na basílica de São Pedro, quando proferiu uma homilia em que condenou com firmeza a violência, a humilhação e as ofensas impostas com frequência às mulheres. “As mulheres são fonte de vida. Entretanto, são continuamente ofendidas, golpeadas, violentadas, induzidas a se prostituir e a eliminar a vida que levam no ventre”, declarou o líder da Igreja Católica. Depois ele se dirigiu ao palácio apostólico para rezar o Angelus com os fiéis reunidos na praça de São Pedro e aproveitou a ocasião para se desculpar pela atitude da véspera.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: