As contas pendentes do ‘gordinho’ Neymar

O atacante do PSG, que prioriza a Liga dos Campeões e a Copa do Mundo à Bola de Ouro, está na mira devido à sua condição física. Neste sábado, postou imagens para garantir que já voltou à melhor forma

Neymar, na partida do Brasil contra o Chile.
Neymar, na partida do Brasil contra o Chile.Claudio Reyes (AP)
Mais informações

Neymar conquistou a Liga dos Campeões (2015) e a Libertadores (2011). Tem em sua sala de trófeus o campeonato paulista (2010, 2011 e 2012), a Liga espanhola (2015 e 2016) e a Ligue 1, francesa (2017, 2018, 2019 e 2020). O ouro olímpico foi pendurado (2016) e conquistou as Confederações (2013). Desde que apareceu no futebol profissional, aos 17 anos, só ficou sem erguer um título importante em duas temporadas, na estreia no Santos (2009) e na primeira no Barça (com Tata Martino no banco, venceu a Supertaça em 2013). “Ney não se preocupa tanto com objetivos pessoais de gols quanto Cristiano e Messi. Ele quer conquistar títulos“, assegura o entorno do brasileiro. Mas, aos 29 anos e com um currículo em que só falta Copa do Mundo e Copa América, Neymar tem que prestar contas. Ele não levantou o Orelhuda com o PSG (finalista em 2020) e no Brasil analisam seu comportamento com desconfiança, até nas vitórias.

A Seleção brasileira soma sete vitórias nas sete rodadas de qualificação para o Mundial. Um recorde. No Brasil questionapse o jogo da equipe de Tite —venceu por 0 a 1 contra o Chile, em um duelo em que perdeu na posse de bola e chutou menos do que o time vermelho—, mas, acima de tudo, falam da condição física de Neymar. ““Jogamos bem? Não! Ganhamos? Sim! Então f@&$!#” Segue o baile. Seguimos fazendo história“, publicou o brasileiro no Instragram. Provocador por natureza, Neymar ironizou: “A camisa era G”, escreveu ele em referência ao tamanho de seu elástico uniforme contra o Chile na quinta-feira. “Tô no meu peso já. Próximo jogo peço camisa M“. Neste sábado, na mesma rede social, o jogador postou imagens sem camisa, para exibir a forma.

Neymar dividiu suas férias em duas. Na primeira esteve no Brasil, acompanhado de seu preparador físico pessoal e de seu fisioterapeuta. Em seguida, viajou para Ibiza. Aí, ele se esqueceu do cuidado. “Ele não tem 25 anos. Agora está mais difícil para ele se recuperar“, explicam no PSG. Ao contrário de Mbappé, que antecipou dois dias de férias para voltar aos treinos, o paulista não poupou um dia. Ao chegar a Paris, buscou recuperar o tempo perdido: dupla jornada de trabalho e dieta vegana. “No início de cada percurso, todos os jogadores de futebol são afetados em sua condição técnica. Ney não é exceção“, defendeu Tite. “É verdade que ele não estava 100% fisicamente, mas é um jogador super competitivo e, quando tem que estar bem, está”, concluem do PSG.

Antes do movimentado mercado de transferências, em que o PSG contratou Messi e conseguiu reter Mbappé, renovaram com Neymar no Qatar. A ideia do clube parisiense era dar ao paulista ainda mais poder. Com um guarda-roupa feito sob medida —Rafinha, Marquinhos, Di María, Paredes e Keylor Navas—, a comissão técnica de Pochettino também se rende a Ney. A chegada do amigo Messi não alterou os planos. Ao contrário. Antes de o argentino viajar a Paris para assinar o contrato, Neymar escreveu ao amigo: “Você quer a 10?” Messi recusou. Entende que agora o líder da equipe tem que ser Neymar. Já pensava o mesmo em 2019, quando insistiu para que voltasse ao Barcelona. “Eu faço você ganhar a Bola de Ouro”, o ex-capitão do Barcelona o motivou. Neymar não esquece que ainda não conquistou o prêmio da France Football. Isso o inquieta, mas não o perturba. Ele prefere a Liga dos Campeões. “Ninguém lembra que em 2020, em plena pandemia, ele ficou 60 dias no Rio treinando feito um louco para ganhar a Liga dos Campeões”, defendem em seu entorno.

O paulista sabe que tem que chegar em boas condições quando começar as oitavas de final da Orelhuda, em fevereiro de 2022. Justamento no ano que pode marcar um pico na carreira de Neymar. A Champions, junto com Mbappé e Messi, e a Copa do Mundo. “Ele tem talento para conseguir o que quer”, finalizam em Paris.

O Brasil recebe a Argentina neste domingo, às 16h. A Seleção brasileira nunca perdeu uma partida das Eliminatórias no Brasil; No entanto, havia perdido apenas uma partida oficial no Maracanã (final da Copa do Mundo de 1950, contra o Uruguai), até que a Argentina de Messi ganhasse a Copa América. Neymar quer revanche; seu verdadeiro objetivo, de qualquer forma, é a Copa do Mundo no Catar. Depende do seu físico. Quer dizer, depende dele.

Apoie a produção de notícias como esta. Assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$

Clique aqui

Inscreva-se aqui para receber a newsletter diária do EL PAÍS Brasil: reportagens, análises, entrevistas exclusivas e as principais informações do dia no seu e-mail, de segunda a sexta. Inscreva-se também para receber nossa newsletter semanal aos sábados, com os destaques da cobertura na semana.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: