Futebol Feminino

Ferroviária conquista Libertadores Feminina e traz a taça ao Brasil pela 9ª vez

Equipe paulista supera o América de Cali por 2 x 1 em uma final emocionante, em Buenos Aires

Jogadoras da Ferroviária comemoram a conquista da Copa Libertadores, neste domingo, em Buenos Aires.
Jogadoras da Ferroviária comemoram a conquista da Copa Libertadores, neste domingo, em Buenos Aires.AGUSTIN MARCARIAN / POOL / EFE

A Ferroviária de Araraquara (SP) se sagrou campeã da Copa Libertadores Feminina ao vencer o América de Cali por 2 x 1 em uma final vibrante, neste domingo. A equipe colombiana fez uma grande partida e lutou até o último minuto, mas não conseguiu se recuperar das duas falhas na grande área que deram a vitória ao time paulista em Buenos Aires. Com gols de Sochor e Aline Milene, a Ferroviária conquistou seu segundo título continental feminino, um ano depois de perder a final para o Corinthians. Das 12 Libertadores Feminina já disputadas, 9 ficaram nas mãos do futebol brasileiro, a uma grande distância do resto do continente.

Mais informações

A Ferroviária soube administrar com inteligência o jogo no estádio do Vélez Sarsfield, suportando o ataque incessante das rivais. Logo aos 7 minutos, Sochor abriu o placar numa cobrança de falta. O empate veio aos 37, num pênalti convertido capitã Catalina Usme. Mas a esperança colombiana durou pouco: cinco minutos depois, a brasileira Aline Milene marcou, também de pênalti, e voltou a abrir vantagem para a Ferroviária no placar.

No segundo tempo, o América foi muito superior, mas não conseguiu a virada. Foram quatro chutes a gol que bateram na trave, e outros defendidos pela goleira Luciana, um dos destaques da equipe paulista. A ofensiva das colombianas aumentou ainda mais nos 15 minutos finais, em que procuraram o gol pelo centro, pelas laterais e em chutes longos, mas não conseguiram repetir a façanha obtida na semifinal contra o Corinthians, quando empataram dramaticamente aos 48 do segundo tempo e depois se classificaram para a final nos pênaltis.

“Estou muito abatida e muito triste, porque sei o que demos, o que nos preparamos, mas é preciso ir em frente”, disse a capitã Usme a jornalistas após o jogo. “Cometemos erros que não tínhamos cometido antes”, admitiu. O treinador Andrés Usme, irmão dela, destacou o crescimento do América nos últimos anos―ficou em terceiro na edição de 2019 e em segundo nesta edição de 2020, realizada com atraso por causa da pandemia de covid-19― e disse que a intenção é chegar ao título na próxima vez.

Apoie a produção de notícias como esta. Assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$

Clique aqui

Com a Ferroviária, que dirige há menos de dois meses, Lindsay Camila se tornou a primeira mulher a erguer uma Libertadores como treinadora. “Tentava não pensar muito nisso, porque era muita pressão”, admitiu Camila. “Todas as mulheres têm que acreditar que conseguem. As mulheres precisam de mais espaços em todos os lados”, prosseguiu. “Foi um trabalho das jogadoras, elas fizeram tudo. Somos a equipe do milagre”, comemorou Camila. A time de Araraquara receberá 85.000 dólares (466.580 reais) como prêmio pela conquista, e o América ficará com 50.000 (274.460 reais).

Como Camila, os irmãos Usme reiteraram a importância de apoiar o futebol feminino na América Latina. Para o treinador Andrés, as veteranas que deram início à profissionalização do futebol feminino, tanto na Colômbia com em outros países, “estão há muitos anos lutando para terem um bom futebol feminino, para terem boas condições, e me veio à mente tudo o que elas fizeram, quando tinham que trabalhar de noite e treinar de dia”. Na avaliação dele, “o Brasil continua sendo uma referência porque há diferenças abissais em relação ao resto do continente. Elas têm muitíssima vantagem sobre nós”.

Esta edição da Copa Libertadores Feminina foi a primeira disputada na Argentina. As duas equipes locais, Boca Juniors e River Plate, foram eliminadas nas semifinais pelo América e a Ferroviária, respectivamente. O fato de terem caído prematuramente no torneio e de o acesso dos torcedores aos estádios estar vetado, por causa da pandemia, reduziram substancialmente a visibilidade de uma competição com a qual os organizadores esperavam mostrar a expansão do esporte no subcontinente.

Arquivado Em:

Mais informações

Pode te interessar

O mais visto em ...

Top 50