Tigres joga o mínimo contra sul-coreanos e enfrenta o Palmeiras na semifinal do Mundial de Clubes

O time mexicano venceu o Ulsan Hyundai por 2x1 graças ao ímpeto e aos gols do francês Gignac

O francês André-Pierre Gignac celebra um de seus gols.
O francês André-Pierre Gignac celebra um de seus gols.Hussein Sayed (AP)
Mais informações
Torcedores do Santos comemoram vitória sobre o Boca
Aglomerações de torcedores durante a pandemia contrapõem responsabilidade das organizadas
Treinador português conduziu o Palmeiras à final da Libertadores.
Abel Ferreira, o sucessor de Jesus que tem a chance de estabelecer ‘soberania’ portuguesa na América
Técnico do Santos foi condenado por estupro na década de 1980.
Cuca e a mancha do estupro no currículo do técnico brasileiro mais falado do momento

Os times mexicanos são os convidados habituais da Copa do Mundo de Clubes nos últimos 15 anos. O grande objetivo, até agora não alcançado, é jogar a final. A última aposta é o Tigres, time que brilhou na última década no futebol mexicano com cinco títulos nacionais. Nesta quinta-feira, no Catar, o time felino venceu o sul-coreano Ulsan Hyundai com certa dificuldade (por 2 a 1). Seu rival será o novo campeão da Copa Libertadores, o Palmeiras.

A jornada dos Tigres começou com agruras. Já nos primeiros 23 minutos, o Ulsan marcou um gol a partir de cobrança de escanteio com uma bela jogada de bola parada. O tento de KeeHee Kim foi um choque. O time mexicano deu meia-volta e encontrou em seu artilheiro, o francês André-Pierre Gignac, o caminho para a luz. Antes do final do primeiro tempo, Gignac impôs o empate após um pivô impulsionado pela cabeça de Diego Reyes. Minutos depois, a arbitragem de vídeo decretou sua lenta, mas precisa: justiça: após outra cobrança de escanteio, a bola foi desviada pela mão de Kim Ji-Hyun. O assobiador marcou pênalti a favor do time mexicano. Gignac, quem mais, pediu a bola para fazer o 2 a 1.

O segundo tempo foi para os Tigres, comandados por Ricardo Ferretti, uma prova de resistência. A equipe que representa a Concacaf sofreu com os avanços da equipe asiática, que chegou inclusive a marcar um gol, com Yoo Bit-Garam, de letra, que seria anulado por impedimento. Os felinos tiveram algumas ocasiões para aumentar a vantagem no placar, mas o infeliz pé de Raymundo Fulgencio mandou duas bolas para longe da meta adversária.

O Tigres terá um jogo mais difícil neste domingo (às 15h, no horário de Brasília) quando enfrenta o Palmeiras, que há poucos dias conquistou a Copa Libertadores com sofrimento contra o Santos. A aspiração final será enfrentar o Bayern de Munique, campeão da Liga dos Campeões, que também ainda precisa jogar sua semifinal.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS