Marcos Nobre: “O EL PAÍS traz temas relevantes para agir na transformação do mundo”

Filósofo e presidente do Cebrap apoia lançamento da assinatura da edição brasileira do EL PAÍS: “É para encontrar informações confiáveis em um momento de tanta desinformação”

O filósofo Marcos Nobre fala sobre a importância do EL PAÍS e do jornalismo para a democracia. Adriano Vizoni / Folhapress
Mais informações
Dvd 876 - 20/12/2017 - Javier Moreno en la Escuela de Periodismo de El País - ©Gorka Lejarcegi
Javier Moreno: “Podemos e devemos expor os agentes da fragilização das democracias no Brasil e no mundo”
Pesquisadora Debora Diniz.
Debora Diniz: “É preciso reconhecer o papel do jornalismo na construção da democracia”
(FILES) In this file photo taken on August 08, 2020, aerial view of a bean field bordering a rainforest reserve close to Sorriso, Mato Grosso State, Brazil. - President Jair Bolsonaro on September 18, 2020 accused governments critical of his environmental management of wanting to weaken the powerful Brazilian agribusiness sector, in the midst of a wave of fires that made it difficult to land in a rural production zone due to poor visibility. (Photo by Florian PLAUCHEUR / AFP)
EL PAÍS lança a assinatura de sua edição brasileira

Marcos Nobre é filósofo, cientista social, professor da Unicamp e presidente do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap), uma das mais tradicionais e prestigiosas organizações de pesquisa social do Brasil. Nobre também é leitor do EL PAÍS e uma voz no jornal que analisa de forma aguda a política brasileira, acompanhando o estado permanente de crise e transformação desde os desdobramentos com as jornadas de junho de 2013.

Apoie nosso jornalismo. Assine o EL PAÍS clicando aqui

Em junho deste ano, ele fazia um alerta sobre o momento do Brasil. “Não só temos uma crise sanitária, uma crise econômica e uma crise política. Pela primeira vez também corremos o risco de perder a democracia. Tem que ficar claro que, ou você junta todo mundo, ou esse país vai se inviabilizar”, disse Nobre em entrevista em vídeo ao EL PAÍS (veja a íntegra aqui). O filósofo acabava de lançar o livro Ponto final - a guerra de Bolsonaro contra a democracia (Todavia). Trata-se de uma obra à quente, de análise dos últimos lances do Governo, com o mesmo pulso com que ele escreveu sobre 2013 apenas meses depois das jornadas em Choque de democracia: razões da revolta.

Na equação democrática, o jornalismo ocupa um ângulo fundamental, segundo ele. Por isso ele apoia meios como EL PAÍS Brasil. “O EL PAÍS Brasil é um lugar em que podemos encontrar informações confiáveis em um momento de tanta desinformação e tentativas de manipulação. O EL PAÍS faz um trabalho jornalístico sério e aprofundado”, acredita ele, autor de Como nasce o novo?, que discute as semelhanças entre o início do século 19, marcado pelas invasões napoleônicas, e a realidade do Brasil pós-2013.

“Não basta só informação confiável. Precisa também trazer os temas realmente relevantes para quem quer agir na transformação do mundo", ressalta. “Para quem está preocupado com as desigualdades, com a emergência ambiental, com os riscos autoritários que corremos, o EL PAÍS Brasil é fundamental para que tenhamos boas pautas, boas informações e boas análises.”

Marcos Nobre é uma das vozes do Brasil, entre colunistas, leitores, ativistas e pensadores, que se juntou à campanha de apoio ao projeto de assinatura da edição brasileira do EL PAÍS. Em outubro, o jornal adotará o modelo paywall, quando os leitores têm um limite de textos gratuitos para ler por mês. A partir daí, será preciso pagar para ter acesso a todas as reportagens e análises da edição brasileira, que nasceu com os ventos das jornadas de 2013. O preço da assinatura para ter acesso aos textos em português é de 1 dólar no primeiro mês e 3 dólares a partir do segundo mês. É uma mudança necessária para que, após sete anos, o jornal continue cumprindo a missão de trazer ao público brasileiro as notícias mais relevantes do país e do mundo. Apoie e assine o EL PAÍS. Queremos crescer junto com vocês para fortalecer a opinião pública no Brasil.



Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS