SEXO

Orgasmo em dois minutos: os brinquedos sexuais femininos têm um novo rei

O nome pode causar desconfiança, mas as mulheres que experimentam perdem o medo rapidinho; saiba como funciona o sugador de clitóris

O mais provável é que os que viram a série Sex In The City não se esqueçam do capítulo em que Charlotte fica obcecada com o brinquedo sexual da moda dos anos noventa: o vibrador em formato de coelhinho. A novidade do aparelho era não ser somente introduzido na vagina como qualquer dildo, ele também possuía um apêndice, em forma de orelhas de coelho, criado para estimular o clitóris. Foi uma grande revolução à época e agora já possui um substituto.

Mais informações

O brinquedo sexual que agita as reuniões de mulheres duas décadas depois é o sugador de clitóris. Entre os dois há duas grandes diferenças. A primeira, que agora um objeto desse tipo não ficou famoso em uma série de televisão, e sim nas redes sociais. A segunda é que hoje as mulheres têm mais consciência da importância do clitóris no prazer feminino. E, justamente, é essa a parte da anatomia feminina protagonista do novo brinquedo, que não foi feito para a penetração. Serve somente à estimulação externa, e isso basta.

“Os sugadores de clitóris estão significando uma revolução sexual para muitas mulheres, pois podem ser tremendamente eficazes em dar prazer. Está cada vez mais estendida a ideia de que o clitóris é uma forma fantástica para sentir prazer, sem a necessidade de utilizar a penetração”, diz a sexóloga Ana Lombardía.

“Em terapia, as psicólogas recomendam o aparelho em alguns casos, já que podem ser uma ferramenta fabulosa para que uma mulher se conheça, descubra as diferentes formas de sentir prazer das quais é capaz e até mesmo, em alguns casos, obter seu primeiro orgasmo”, acrescenta a especialista. Mas como funciona exatamente um sugador de clitóris?

Como funciona a 'sucção'?

A primeira coisa que deve ser esclarecida é o que é exatamente um sugador de clitóris. O divulgador sexual e especialista em brinquedos eróticos nas lojas Amantis, Óscar Ferrani diz que “são brinquedos eróticos para manejar com as mãos e que, através de uma suave boquilha ergonômica, permitem sugar e acariciar a cabeça visível do clitóris”. O nome do inanimado companheiro sexual pode causar desconfiança. Lombardía tranquiliza: “Ele é chamado de sugador porque o clitóris é ligeiramente introduzido em uma abertura do brinquedo, ainda que a estimulação não seja por sucção propriamente dita. Não oferece uma vibração como a dos brinquedos habituais, e sim uma pequena batida”.

O brinquedo já é comercializado por diferentes marcas e surgiram modelos que oferecem diferentes tipos de estimulação. Ferrani diferencia entre os sugadores e os que passaram a ser chamados de “sônicos”. “Os sugadores funcionam através de um miniaspirador ajustável em ritmos e intensidades, estirando e acariciando em uma massagem única”, por outro lado, “os ‘sônicos’ fazem oscilar uma pequena lingueta suspensa no interior da boquilha massageadora, que gera ondas ultrassônicas capazes de fazer ‘vibrar’ o clitóris muito mais além de sua cabeça visível”. Dessa forma, se exteriormente parecem semelhantes, as sensações que provocam podem ser diferentes.

Mais facilidade para chegar ao orgasmo e ao orgasmo múltiplo

A psicóloga especialista em saúde feminina Laura Moreno explica em duas palavras por que esse brinquedo sexual se diferencia dos demais: rapidez e facilidade. “Acho que são as duas características que melhor definem esse produto e por isso tantas mulheres se encorajaram a testá-lo”. A ideia é que, por não precisar introduzir nada, não é necessária tenta preparação prévia, e que, por ser uma estimulação tão direta, o orgasmo chega mais rápido, podendo até repetir e chegar ao orgasmo múltiplo. Tudo isso, de acordo com a especialista, ajuda a sair do modelo de sexualidade coitocentrista. “É fundamental que as mulheres entendam que a penetração não é a única fonte de prazer e façam com que os homens também entendam”.

Para entender a importância da estimulação direta do clitóris, Moreno diz que, “fisiológica e socialmente”, o clitóris foi um órgão que passou desapercebido, mas é importante que se saiba que é o único órgão de nosso corpo dedicado a dar prazer”. O clitóris tem mais de 8.000 terminações nervosas, o que explica sua extrema sensibilidade, e os sugadores só estimulam a parte externa, a glande, que é a parte visível e que mede aproximadamente dois centímetros, ainda que seu tamanho cresça quando excitado e tem ereções. Os sugadores de tipo sônico, entretanto, podem estimular sua parte interna, que não é pequena: “Um clitóris costuma medir 10 centímetros de comprimento e seis de largura”, diz a psicóloga.

O Instagram foi à loucura, mas eles não são infalíveis

Ainda que a chave de seu sucesso pareça ser a capacidade de chegar ao orgasmo mais rapidamente, e até repetir a estimulação e chegar ao orgasmo múltiplo, o sugador de clitóris não teria vivido tamanha revolução sem a ajuda das redes sociais. Essas plataformas ajudaram muitas mulheres a fazer as perguntas que não se atrevem a fazer nas lojas. “Recebemos muitas perguntas sobre a estimulação produzida pelo sugador: antes de testá-lo costuma existir uma ideia muito distorcida do conceito sucção (não tem nada a ver com um aspirador, como diz Moderna de Pueblo em sua publicação no Instagram). Outras mulheres perguntam se é normal ter mais de um orgasmo em cada sessão, se é muito barulhento e sobre como integrá-lo no âmbito do casal”, dizem os responsáveis pela loja erótica Platanomelón, que contribuíram à divulgação do brinquedo.

De acordo com seus dados, por volta de 83% das pessoas que o utilizaram chegaram ao orgasmo em menos de 2 minutos. Mas não se deve esquecer que as sensações que para uma mulher podem ser agradáveis, talvez sejam muito incômodas para outra. Lombardía frisa que, para não se ter uma decepção na primeira tentativa com esse novo amante tecnológico, é importante levar em consideração que não são milagrosos e que precisamos reajustar as expectativas no momento de utilizá-los. “Podem dar muito prazer, mas em muitos casos costuma ser necessário que por trás exista determinado estado emocional e psicológico que nos permita aproveitá-los”: nem todo mundo é capaz de desconectar e se deixar levar pelo prazer em dois minutos, por mais intensa que seja a sensação do brinquedo em questão. Mas tentá-lo é o destino dos tempos.