FC BARCELONA

Sai Coutinho, entra Griezmann: como o Barcelona se planeja para a próxima temporada

Depois de duas derrotas traumáticas na Champions e na Copa do Rei, a equipe catalã já busca reforços. De Ligt também deve chegar, enquanto Rakitic e Umtiti podem sair

Coutinho na final contra o Valencia.
Coutinho na final contra o Valencia.

Mais informações

Ao concluir o final da Copa do Rei, na qual o Barcelona perdeu para o Valencia por 2 a 1, Philippe Coutinho caiu no gramado. Não se sabe se foi pela derrota ou porque seu joelho doía, pois precisou de assistência médica enquanto seus colegas lamentavam a derrota. Uma confusão, por parte do brasileiro, que se transformou em seu estilo de vida na Espanha.

Anunciado no dia 6 de janeiro, há mais de um ano, chegou como um herói e com a responsabilidade de ser a contratação mais cara na história do clube (120 milhões de euros fixos, mais 40 milhões em variáveis). Titular na escalação mas ausente em campo e criticado pela torcida por seu futebol, Coutinho pediu para deixar o clube faz pouco menos de três meses. Não se entendia com o Barça nem o clube com ele, porque não teve liga. Os catalães esperam vendê-lo por um preço que não ridicularize o enorme investimento feito. E outros deverão se juntar ao meia.

Mal faz um mês, o corpo diretivo tinha claro que Ernesto Valverde continuaria à frente do Barça por sua excelente convivência no vestiário e pela possibilidade de ganhar o triplete, composto dos títulos do campeonato espanhol, Copa do Rei e Liga dos Campeões. Agora não. Duas derrotas — especialmente a goleada contra o Liverpool — acabaram com as chances de título na Copa e na Champions e colocaram o treinador sob pressão. Entre outras coisas, porque a diretoria se preocupa em ignorar as críticas por manter um treinador quando já são muitas as vozes discordantes ao redor de sua figura. “Ernesto tem contrato”, ratificou o presidente Josep Bartomeu depois da derrota na final. “Não sabemos que ocorrerá com Ernesto”, dizem fontes da entidade. Com os jogadores está mais claro.

Além de Coutinho, o goleiro reserva Cillessen voltou a pedir sua saída do Barcelona, como fez na janela de transferências anterior sem sucesso porque não encontrou uma oferta satisfatória. A porta não é fechada para ele porque entendem seu desejo de jogar e porque seu comportamento foi exemplar, competente e amigo do titular Ter Stegen. Nada mudará na lateral direita, embora alguns membros do clube tenham pressa em dar chances ao jovem Wagué.

Alívio para Suárez

Existe a espera para que o zagueiro De Ligt, do Ajax, decida-se por Manchester United, Juventus, Bayern ou qualquer outra equipe que não seja o Barça, que ofereceu um contrato ao jogador, mas sem cumprir suas pretensões econômicas ou de minutos em campo. Algo complicado, porque Piqué e Lenglet formaram uma dupla tão sólida que o campeão mundial francês Umtiti acabou esquecido; este seguramente também se irá, por mais que ele tenha a insegurança a respeito de uma recente lesão no joelho. Também será contratado um lateral-esquerdo, para dar respiro ao titular Alba. Juan Miranda, revelação das canteras catalãs que seria o reserva da posição, deve ser emprestado assim como foi Marc Cucurella, que não deve voltar.

No meio-campo, De Jong, do Ajax, já foi contratado e o clube não pretende acrescentar mais peças porque conta com todos os demais, desde o experiente Vidal ao jovem Aleñá, embora com Rakitic exista uma exceção. Se Valverde continuar, ele também continua. Se o treinador sair, será vendido para fazer caixa. Riqui Puig, outro jovem da base, por sua vez, seguirá no Barcelona B mais um ano. Já o brasileiro Rafinha deve sair. Mais adiante, a ideia é contratar um atacante que faça sombra a Luis Suárez. “Alguém que possa atuar em qualquer lado do ataque e que saiba fazer gols”, explicam nos escritórios de Barcelona como se descrevessem Griezmann, um desejo do passado que não agradou à torcida e ao vestiário com a decisão de permanecer no Atlético na temporada passada, mas que agora já anunciou que não ficará em Madri.

O zagueiro Murillo e o meia Boateng, cedidos por empréstimo, não ficarão, ao mesmo tempo em que nenhum emprestado (Arda Turan, André Gomes, Denis Suárez…) retornará ao elenco do Camp Nou. Para Malcom, o clube ainda pretende dar mais um ano antes de avaliar se o brasileiro evolui ou não como jogador do Barcelona.