A nova vida de Jeff Bezos: de magnata a celebridade

Imagem pública do homem mais rico do mundo está se transformando rapidamente após o divórcio e os vazamentos sobre sua vida privada

Jeff Bezos, em outubro do ano passado em San Francisco.
Jeff Bezos, em outubro do ano passado em San Francisco.Phillip Faraone (Getty Images)

Mais informações

Em algum momento, o homem mais rico do mundo se transformou em um meme. A montagem foi feita em cima de duas fotos de Jeff Bezos. Do lado esquerdo, ele aparece com 34 anos, pouco depois de abrir uma loja de livros online chamada Amazon. No direito, sua imagem duas décadas depois, em 2017, de camisa preta, óculos de polícia, calva aparada, um pescoço tão largo quanto a cabeça e braços musculosos. O Bezos de 34 anos diz: “Eu vendo livros”. O Bezos de 54 anos diz: “Eu vendo o que me der vontade”. Entre um e outro há bilhões de dólares e também uma crescente inclinação do homem mais rico do mundo por sofisticar sua imagem e elevar o glamour de suas companhias. Mas a imagem pública tem preço, e esse ano Bezos precisou pagá-lo.

A lista de bilionários da Forbes de 2019 diz que ele tem uma fortuna avaliada em 131 bilhões de dólares (510 bilhões de reais). Aumentou em 19 bilhões de dólares (75 bilhões de reais) desde o ano passado, mais ou menos o PIB da Bósnia. Ninguém se interessa em saber como se vestem e qual é rotina de exercícios dos cinco seguintes da lista: Bill Gates, Warren Buffett, Bernard Arnault, Carlos Slim e Amancio Ortega. Jeff Bezos, entretanto, se transformou em um personagem do mundo das fofocas. E mais, é um personagem de tabloides de má fama. Após discutir seus bíceps, os Estados Unidos passaram a falar de seu divórcio. Depois a dissecar sua namorada e o irmão dela. A última nova é que circulam supostas fotos do pênis de Bezos. Esse é o nível atual.

Jeff Bezos tem 55 anos. Ele se casou aos 29 com Mackenzie Tuttle, californiana seis anos mais nova do que ele. Começaram juntos a Amazon em 1994. Em 9 de fevereiro deste ano, anunciaram seu divórcio pelo Twitter. Reconheciam que estavam separados há tempos. Desde o ano passado, Bezos estava sendo seguido por jornalistas da National Enquirer, que estavam prestes a publicar com exclusividade sua relação com uma ex-atriz e apresentadora de televisão chamada Lauren Sanchez, de 49 anos. A informação foi publicada horas depois do anúncio de divórcio, que certamente foi forçado porque seria tornado público.

Jeff Bezos, no dia 23 de fevereiro em Los Angeles.
Jeff Bezos, no dia 23 de fevereiro em Los Angeles.Bauer-Griffin (GC Images)

Bezos manteve a fama de ser uma pessoa frugal e modesta durante toda a sua carreira. Pouco depois da entrada na Bolsa, quando já era milionário, disse que continuava dirigindo um Honda Accord. Quando a Amazon já vendia de tudo, já havia fundado a empresa de viagens espaciais Blue Origin, comprado o The Washington Post e seus estúdios de cinema já funcionavam, disse em uma entrevista que continuava passando a maior parte de seu tempo em casa em Seattle e que lavava a louça quase todas as noites. Deita cedo, se levanta cedo e tenta dormir oito horas.

Mas as noites de Hollywood tornam isso difícil. Em 2015, a Amazon Studios lançou a série Transparent, com a qual ganhou o Globo de Ouro de melhor comédia. No ano seguinte, um filme da Amazon, Manchester à Beira-Mar, foi indicado ao Oscar. Desde então, Bezos passa cada vez mais tempo em Los Angeles, onde os paparazzi o seguem pela cidade. Seu rosto se tornou habitual em festas de apresentações, no Oscar e estreias de Hollywood. Vem desse ambiente sua amizade com Lauren Sanchez e seu marido, Patrick Whitesell, poderoso agente de estrelas. Os Bezos e os Whitesell foram amigos durante anos antes de Jeff e Lauren começarem sua relação. Em 2016, Bezos se maquiou para uma ponta como alienígena em Star Trek: Sem Fronteiras. Mas Hollywood não é somente diversão. Também é fama, revistas, boatos e maldades por esporte, como Bezos comprovou.

Imediatamente, o divórcio de Bezos foi assunto da imprensa de fofocas. Principalmente porque de acordo com as leis do Estado de Washington, onde moram, sua ex-mulher tem direito a 50% de sua fortuna, o que a transformaria instantaneamente na mulher mais rica do mundo. Além disso, a National Enquirer decidiu publicar todo o material que havia acumulado seguindo o casal por Hollywood. Foi uma capa explosiva com fotos dos dois e mensagens de texto. As mensagens saíram do telefone de Lauren Sanchez, e aí começa um capítulo ainda mais desagradável.

Capa do 'New York Post' sobre a polêmica entre Bezos e Pecker.
Capa do 'New York Post' sobre a polêmica entre Bezos e Pecker.Stephanie Keith (Getty Images)

Bezos encarregou um assessor de segurança de investigar a origem do vazamento das mensagens. As suspeitas levaram imediatamente a Michael Sanchez, irmão de Lauren. Michael Sanchez é um agente artístico de segunda categoria, com a particularidade de ser conhecido na ultraprogressista Hollywood por ser fã de Donald Trump e amigo de personagens da órbita trumpista como Roger Stone. Em 19 de março, o The Wall Street Journal afirmou que Sanchez era a fonte das mensagens e que a revista havia lhe pagado 200.000 dólares (780.000 reais). No sábado, entretanto, o assessor de segurança de Bezos, Gavin de Becker, disse que as conclusões de sua investigação levam a uma trama com origem na Arábia Saudita.

Aqui entra outro personagem: David Pecker, dono da American Media Inc (AMI), editora da National Enquirer. Pecker é um bom amigo de Donald Trump há anos, desde que Trump procurava qualquer oportunidade para sair nas publicações de fofocas e Pecker procurava exclusivas. Durante a campanha eleitoral, Pecker ajudou Trump ao comprar a história de Karen McDougal, uma modelo da Playboy que dizia ter mantido relações sexuais com Trump (ele nega). McDougal recebeu 150.000 dólares (590.000 reais) pela exclusiva, que nunca foi publicada. Isso se chama enterrar uma história e foi um favor de Pecker a Trump que lhe custou uma investigação por participar em financiamento ilegal de campanha.

E assim chegamos a 7 de fevereiro. Em uma mensagem publicada no Medium, o homem mais rico do mundo em pessoa acusa a National Enquirer de extorsão. Bezos tornou públicas mensagens da revista em que ameaçam publicar mensagens dele com sua namorada, entre elas fotos sexuais de seus genitais enviadas por celular. O que preocupa a AMI é que Bezos insinua que a motivação para segui-lo é política, ou seja, outro favor a Trump, que o odeia pela cobertura política do The Washington Post, propriedade de Bezos. Esse material não foi publicado. Bezos não se retratou de sua insinuação de que há uma motivação política.

O magnata Jeff Bezos.
O magnata Jeff Bezos.JIM WATSON (AFP)

Já se passaram 25 anos entre o homem modesto que vendia livros pela Internet e o fortão famoso com divórcio multimilionário extorquido com fotos de seu pênis. Na última edição do Oscar, Bezos voltou a ser um dos homens mais procurados de Hollywood. Ele foi visto na festa da Vanity Fair, onde normalmente posa para a imprensa. Lá, vários veículos de comunicação publicaram que ele havia encontrado Patrick Whitesell, mas não se cumprimentaram. Depois, foi visto chegando à festa de Jay-Z no hotel Chateau Marmont acompanhado por uma mulher que não era Lauren Sanchez. Essa é a vida pública de Bezos hoje. A julgar por sua presença no Oscar, ele aceita. O homem mais rico do mundo parece disposto a pagar o preço de morar em Hollywood.