ESTADOS UNIDOS

Meio Oeste dos EUA se prepara para frio extremo de até 40 graus abaixo de zero

Chegada de uma explosão de ar ártico leva ao fechamento de centenas de escolas e o cancelamento de mais de 1.600 voos. Em algumas regiões o vento pode causar em minutos o congelamento de pessoas que permanecerem expostas

Peatones na rua Wacker Drive em Chicago, nesta segunda-feira. Em vídeo, imagens das nevadas em vários Estados do país.

Pelo menos dez Estados no Meio-Oeste dos EUA estavam nesta terça-feira em alerta pela aproximação de uma massa de ar do Ártico conhecida como vórtice polar, que deve reduzir as temperaturas bem abaixo de zero, chegando a -40 graus centígrados. Segundo o Serviço Meteorológico Nacional (NWS), o vórtice polar é uma "grande área de baixa pressão e ar frio que envolve os polos da Terra".

Em algumas ocasiões, no inverno, o jato de ar polar se desacelera e se ondula. Como resultado, o vórtice se expande e o ar polar frio chega a latitudes mais baixas. A ameaça de frio extremo causou o fechamento de centenas de escolas e o cancelamento de mais de 1.600 voos. Entre esta quarta-feira e a próxima segunda-feira, mais de 83 milhões de norte-americanos –cerca de 25% da população– estarão sob temperaturas abaixo de zero.

"Estão previstas temperaturas perigosamente frias e, potencialmente, um recorde", alerta o NWS, especificando que os termômetros podem marcar 30 e 40 graus Celsius abaixo de zero e estabelecer novos recordes das planícies do norte até os Grandes Lagos. Nesta quarta e na sexta-feira, por causa do vento a sensação térmica pode ser de até - 60 graus. No norte do Estado de Illinois, as temperaturas poderiam cair para -48 graus, o que o Serviço Nacional de Meteorologia classificou como de "risco de vida". Chicago, a cidade do vento, deverá alcançar um novo recorde de temperaturas abaixo de zero, com -27 graus na manhã de quinta-feira. O vórtice polar está associado a ondas de frio extremo, como as ocorridas em janeiro de 2014, 1989 e 1985.

O Serviço Nacional de Meteorologia recomenda não viajar nestes dias e o Escritório de Emergência de Chicago incentiva os moradores a armazenar alimentos e preparar seus carros. O vento polar que sopra do Lago Michigan pode causar congelamento em menos de meia hora nas pessoas que permanecerem expostas. "Estamos falando de problemas de congelamento e hipotermia muito rápidos, uma questão de minutos, talvez segundos", disse o meteorologista Brian Hurley, do Centro de Previsão Meteorológica.

O frio extremo ocorrerá logo após uma forte tempestade que na segunda-feira causou o fechamento de escolas e empresas. Os distritos escolares em Minnesota, Wisconsin e Michigan cancelaram as aulas enquanto as repartições públicas, universidades e empresas fechavam. As temperaturas abaixo de zero começaram nesta terça-feira, mas a previsão é que esta quarta-feira seja o pior dia.

O aquecimento global

Com mais de dez Estados sob alerta, o presidente Donald Trump aproveitou a noite de segunda-feira para fazer comentários irônicos sobre as mudanças súbitas de temperatura. "No lindo Meio-Oeste, as temperaturas da brisa do vento estão chegando a -60 graus Fahrenheit (-51 graus Celsius), o maior frio registrado. Nos próximos dias, a previsão é que vai esfriar ainda mais. As pessoas não podem ficar fora, mesmo por alguns minutos. O que diabos está acontecendo com o aquecimento global? Por favor, volte rápido, precisamos de você!" Não é a primeira vez que o inquilino da Casa Branca, um negacionista das mudanças climáticas, aproveita as ondas de frio que afetam seu país para fazer piadas sobre o assunto.

Chicago suspendeu as aulas matutinas por causa dos alertas antecipados de frio e fechou o zoológico de Brookfield pela quarta vez em seus 85 anos de história. Mais de mil voos foram cancelados em dois aeroportos de Chicago, a terceira maior cidade dos Estados Unidos. O Escritório de Emergência do 911 na cidade lembrou que os sinais de congelamento são formigamento, palpitações e dormência nos dedos das mãos e pés, orelhas e nariz. O prefeito de Chicago, Rahm Emanuel, relatou que as agências da cidade estão garantindo que os mendigos fiquem em abrigos. Ele também pediu que os moradores monitorarem seus vizinhos e tomem precauções de segurança. Em Wisconsin, onde foram registrados até 30 centímetros de neve acumulada, o governador Tony Evers declarou estado de emergência, liberando a Guarda Nacional do Estado para trabalhos de emergência, caso sua intervenção seja necessária. O mesmo aconteceu no Estado vizinho, Michigan.

Arquivado Em: