Nicole Kidman

Nicole Kidman rompe o silêncio sobre os filhos que adotou com Tom Cruise

Atriz, que manteve sob férrea blindagem a sua relação com Isabella e Connor Cruise, afirma que “daria a vida por eles”

Nicole Kidman e Tom Cruise com seus filhos Connor e Bela quando pequenos.
Nicole Kidman e Tom Cruise com seus filhos Connor e Bela quando pequenos.

MAIS INFORMAÇÕES

Nicole Kidman foi eleita neste ano pela revista Time como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo. Continua colhendo sucessos e prêmios com suas interpretações, e mantém um feliz casamento com o cantor country neozelandês Keith Uban. Casaram-se em 25 de junho de 2006 e têm duas filhas, Sunday Rose, de 10 anos, e Faith Margaret, de oito, que nasceu por gestação sub-rogada.

Não se sabe muito sobre elas, porque a atriz sempre preferiu preservar sua vida particular, mas em março de 2017 algumas fotos da família completa, tiradas no aeroporto de Sydney, causaram a mesma curiosidade que despertariam dois astros do rock. Sunday Rose é mais parecida com seu pai, e Faith Margaret, mais próxima dos traços da sua mãe.

Mas, se suas duas filhas menores estão resguardadas, mais misteriosa ainda é a relação da atriz australiana com seus dois filhos mais velhos, Isabella e Connor, de 25 e 23 anos respectivamente, que ela adotou enquanto esteve casada com Tom Cruise, o ultrafamoso ator da saga Missão Impossível. Depois do rompimento do casal em 2001, a máxima de Nicole Kidman tem sido o silêncio sobre eles e sobre a Cientologia, a doutrina que Cruise professa e propaga ardorosamente. Essa atitude e o fato de praticamente não existirem imagens da atriz com seus filhos mais velhos chegaram a tornar generalizada a crença de que não existe relação entre eles.

Uma entrevista à revista australiana Who serviu para romper o silêncio da atriz sobre Isabella e Connor, e também a falsa impressão de que havia renunciado ao papel de mãe deles. “Sou muito reservada sobre eles”, manifestou a atriz à revista. “Tenho que proteger essa relação. Mas o que sei 150% é que renunciaria à minha vida por meus filhos.”

Connor e Bela Cruise em Londres, em 2015.
Connor e Bela Cruise em Londres, em 2015.Instagram

Também pela primeira vez faz uma referência direta a seus filhos e sua relação com a Cientologia: “São adultos. São capazes de tomar suas próprias decisões. Tomaram a decisão de ser cientologistas, e, como mãe, minha tarefa é amá-los”. “Sou um exemplo de tolerância, é no que acredito”, prossegue, “que, não importa o que seu filho fizer, ele tem amor e sabe que estou aqui”. Kidman insistiu nesse aspecto do carinho e afirmou acreditar que o mais importante para uma criança, para um filho, “é esse nosso trabalho como pais, oferecer sempre amor incondicional”.

O fato é que Bela Cruise se casou em segredo em 2015 com o consultor Max Parker, e nenhum de seus pais esteve presente à cerimônia. Apesar dos rumores, fontes próximas a Kidman informaram então que ela estava feliz com o casamento da sua filha. Mãe e filha se encontraram em meados de 2016 em Londres, onde vive Isabella, e foi então que ela conheceu seu genro. “Foi um momento muito emocionante para todos eles”, disseram na ocasião essas fontes. “Nicole não demorou a começar a chorar, e Bela a seguiu.” Segundo se noticiou na época, a atriz tentava havia bastante tempo recuperar os laços com sua filha, e em fevereiro o nome que Isabella Cruise escolheu para a grife que lançou no mercado comprovava que ela não renunciava à sua mãe: BCK, sigla de Bela, Cruise, Kidman, foi o nome com o qual ela lançou uma coleção de camisetas, e sua forma de afirmar que não renega nenhum dos progenitores.

Nicole Kidman e Keith Urban com suas filhas, Faith Margaret e Sunday Rose, em março de 2017, em Sydney.
Nicole Kidman e Keith Urban com suas filhas, Faith Margaret e Sunday Rose, em março de 2017, em Sydney. (Getty)

Nicole Kidman já havia falado anteriormente sobre sua faceta como mãe, e nunca se esquece de mencionar todos os seus filhos. “Sou muito afortunada. Tenho um marido e quatro filhos, e além disso tenho uma família extensa”, disse há alguns anos. “Por estranho que pareça, podemos viver em qualquer lugar do mundo. Sentimo-nos em casa quase em qualquer lado.”

Também se referiu à idade em relação à maternidade: “O que eu adoro de ser mais velha, e especialmente de ser uma mãe mais velha, é a paciência que você adquire e a sabedoria que isso acarreta”. E acrescentou: “O que aprendi como mulher e como ser humano foi muito benéfico para a capacidade que tenho agora de criar meus filhos. O outro lado da moeda é que você não tem a energia física, mas tem a energia mental.”

Arquivado Em: