Estudante mata ao menos 19 pessoas em um colégio da Crimeia com uma bomba e um fuzil

Autoridades dizem que se trata de um aluno de 18 anos que se suicidou. Há cerca de 50 feridos

Serviços de emergências depois da explosão nesta quarta-feira em Kerch (Crimeia).VÍDEO: REUTERS-QUALITYundefined
Mais informações

O governador da Crimeia, uma península antes pertencente à Ucrânia e anexada pela Rússia em 2014, declarou que o suspeito do ataque é um estudante de 18 anos, Vladislav Rosliakov, que se suicidou em seguida, informa a agência Reuters, embora o Comitê Nacional Antiterrorista não descarte que outros agressores tenham participado.

Vários funcionários e a própria diretora do centro de formação profissional, que não se encontrava no local no momento, disseram que um homem armado entrou no colégio, deixou a bomba na cantina e depois começou a disparar a esmo. “Todo mundo corria. Vi uma garota caída no chão. Havia outro menino que estava sendo ajudado a caminhar porque não podia se mover sozinho. A parede estava coberta de sangue. Todo mundo estava assustado. As pessoas choravam”, relata Anastasia Yenshina, uma aluna de 15 anos.

O presidente russo, Vladimir Putin, declarou que os motivos do massacre estão sendo estudados com atenção e expressou suas condolências aos familiares das vítimas.

A cidade portuária de Kerch se encontra entre o mar de Azov e o mar Negro. Em maio passado, Putin inaugurou aqui uma ponte de 19 quilômetros que une a península da Crimeia com a cidade russa de Krasnodar. Cumpriu-se assim o velho sonho do líder do Kremlin de estabelecer um cordão umbilical entre estes dois territórios.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS
Logo elpais

Você não pode ler mais textos gratuitos este mês.

Assine para continuar lendo

Aproveite o acesso ilimitado com a sua assinatura

ASSINAR

Já sou assinante

Se quiser acompanhar todas as notícias sem limite, assine o EL PAÍS por 30 dias por 1 US$
Assine agora
Siga-nos em: