Seleccione Edição
Login

Traficante mais procurado da Espanha reaparece em clipe de reguetón

Francisco Tejón era procurado desde 2016

À esquerda da imagem, o cantor Clase-A com Francisco Tejón, o ‘Castaña’.

Dois homens descem da Bentley Continental metálica, um carro de alta gama, avaliado em mais de 900.000 reais. “Voltou o dono da festa”, avisa, com a voz enlatada, o cantor Clase-A. Os dois homens entram numa casa onde são aguardados por oito mulheres com pouca roupa. “O que é que você quer que eu te dê? Fogo!”, canta o vocalista.

Poderia ser um clipe de reguetón qualquer, se não fosse porque o outro homem que desce do carro é Francisco Tejón, o maior chefe do narcotráfico do Campo de Gibraltar (extremo sul da Espanha), líder do clã dos Castaña, procurado pela polícia desde o final de 2016.

O fato de ser um dos homens mais buscados da Espanha e de seu irmão Antonio ter sido preso em junho não dissuadiu Tejón de se tornar o astro convidado do clipe Candela. Clase-A lançou a faixa em 2 de outubro, e desde então ela já acumula mais de 41.000 reproduções no YouTube. Fontes da delegacia de polícia de La Línea de la Concepción, cidade de origem do traficante, confirmam que se trata dele mesmo, mas não dão detalhes sobre onde ocorreu a gravação.

Em alguns planos do vídeo, no entanto, aparecem espaços externos de uma casa que os Castaña usavam para orgias privadas, no bairro de Guadacorte de Los Barrios (Cádiz), como pôde confirmar o EL PAÍS. Outra incógnita para os agentes é quando foi feita a gravação. Ao longo de setembro, o cantor foi subindo às suas redes sociais fotos e vídeos sobre o processo de criação do clipe, mas sem mostrar imagens do traficante. Se ficar confirmado que foi no mês passado – e não antes do final de 2016, quando se tornou foragido da Justiça –, significaria que Tejón continua se movimentando com impunidade pelo Campo de Gibraltar.

Candela dura três minutos e meio. Nesse tempo, Tejón aparece em diferentes planos, cercado por mulheres em trajes de banho. A canção começa com sua chegada de Bentley ao local. Depois, aparece sentado num sofá, acompanhado do cantor e das mesmas mulheres dançando ao seu redor. Daí, para uma piscina. O clímax do clipe, já no final, é quando Clase-A e Tejón, ambos sem camisa, entram num quarto chamado de Masmorra, onde as moças os aguardam numa cama redonda.

O sobrado cuja fachada aparece no vídeo é um local conhecido pela polícia. As forças de segurança acreditaram em algum momento que era uma propriedade a mais dos Castaña, um dos 17 imóveis que a polícia vasculhou durante a Operação Ronal. Revelada em abril de 2017, a investigação acabou com 30 membros do clã detidos e os dois irmãos Tejón foragidos. Mas, ao entrar na casa, localizada na avenida Golondrinas de Guadacorte, descobriram que não se tratava de uma moradia comum, e sim de um local de encontros e orgias privadas da quadrilha, equipado com piscina, bar, quarto escuro, camas redondas e salas com objetos de práticas sadomasoquistas.

É o ápice do esbanjamento de uma quadrilha cujos principais chefes e lugares-tenentes estão acostumados a um nível de vida elevado. A polícia suspeita que os Tejón chegaram a acumular mais de 30 milhões de euros (133,6 milhões de reais) depois de assumirem o controle do tráfico de haxixe com Marrocos através do estreito de Gibraltar.

Entretanto, no final de 2016 a vida acomodada dos irmãos Tejón começou a se complicar. Passaram a viver na clandestinidade depois de que, na Operação Ronal, muitos de seus funcionários e familiares foram detidos. Em 7 de junho, Antonio Tejón foi detido em La Línea quando visitava uma amante. Foi necessária uma operação de mais de cem agentes. Os investigadores ainda não conseguiram encontrar seu irmão Francisco. Resta ver se sua aparição no clipe abre uma nova via de investigação. Além dos endereços da casa de Guadacorte, só a data da gravação das imagens poderia fornecer mais pistas.

A polícia diz desconhecer quando o clipe foi gravado, mas Clase-A contou em suas redes sociais o processo de criação ao longo de setembro. No dia 4, publicou no Instagram um vídeo mostrando seu cabelo tingido de vermelho, como se vê em Can7dela. No dia 9, subiu outro clipe com as mesmas garotas que aparecem na outra gravação, embora não haja nem sinal de Tejón. E já em 2 de outubro publica no YouTube o videoclipe onde o traficante aparece com o cantor tingido com essa mecha vermelha.

Enquanto isso, as lendas sobre o paradeiro de Francisco circulam por La Línea. Há quem diga que está em Marrocos, e quem garanta que se movimenta pela cidade escondido por um capacete de moto. O Castaña não resistiu a tanto tempo de clandestinidade e deu a cara no vídeo. Mas não para se entregar à Justiça, e sim para mostrar sua vida de luxo kitsch, da qual tanto os Castaña se gabam.

MAIS INFORMAÇÕES