Últimas notícias sobre o ataque a Bolsonaro

Polícia Federal transfere Adelio Bispo de Oliveira, réu confesso de esfaquear Jair Bolsonaro, de Juiz de Fora para uma prisão federal em Campo Grande

Flavio Bolsonaro.ap / altasundefined
Mais informações
A 30 dias da eleição, ataque a Bolsonaro força freio de arrumação na campanha
As tensas horas para salvar Bolsonaro e prender o acusado
Dúvida sobre veracidade do ataque a Bolsonaro movimenta as redes sociais

Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos, réu confesso de ter esfaqueado Jair Bolsonaro, candidato do PSL à Presidência, durante campanha na quinta-feira 6 de setembro em Juiz de Fora foi transferido para uma prisão Federal em Mato Grosso. Ficou definido que o réu permanecerá preso preventivamente após ter sido detido em flagrante por tentar matar Bolsonaro.

O candidato, transferido para o Hospital Albert Einstein em São Paulo, se encontra na unidade de terapia intensiva, com visitas restritas à sua esposa e filhos. Bolsonaro evolui bem após passar por cirurgia em Juiz de Fora. 

Acompanhe a cobertura.

Encerramos aqui a cobertura em tempo real sobre o ataque sofrido pelo presidenciável Jair Bolsonaro. Continue acompanhando o caso no EL PAÍS.

Boa tarde!

Érica Saboya
Regiane Oliveira

O Hospital Albert Einstein divulgou um novo boletim sobre a saúde de Jair Bolsonaro:

"Passadas 48 horas da internação do candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (...), o mesmo encontra-se estável e apresenta nítida melhora clínica e laboratorial, sem nenhuma evidência de infecção. O quadro abdominal apresentou melhora nas últimas 24 horas e o paciente persiste em cuidados intensivos e com progresso do tempo de permanência fora de leito e caminhada. Mantém jejum oral, recebendo nutrientes por via endovenosa".

Regiane Oliveira
Heloísa Mendonça

“Ataque ajudará Bolsonaro a chegar perto de seu teto eleitoral, em torno de 26%” .Análise é de Andrei Roman, diretor-executivo do Atlas Político, que prevê Marina ou Haddad contra deputado no segundo turno. "Marina poderia ter um discurso mais claro sobre o legado petista" . Leia a reportagem de Flávia Marreiro ---> ow.ly/rDLh30lJW1L

Heloísa Mendonça
Heloísa Mendonça

Bolsonaro não tem sinais de infecção

O candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro (PSL), não tem sinais de infecção, segundo novo boletim médico divulgado, no início da noite deste sábado (8), pelo Hospital Hospital Israelita Albert Einstein. O hospital informou que Bolsonaro passou um pequeno período do dia sentado na poltrona (30 minutos), além de caminhar no quarto auxiliado por fisioterapeuta, enfermeira e médico por 5 minutos. "O tempo será gradualmente aumentado nos próximos dias conforme a tolerância do paciente às atividades. Essas medidas têm objetivo de reduzir os riscos de trombose, complicações pulmonares e acelerar a recuperação do funcionamento do intestino", diz o boletim.

Heloísa Mendonça
Heloísa Mendonça

PF anuncia aumento de policias para segurança de presidenciáveis após ataque a Bolsonaro

O Diretor-Geral da Polícia Federal reuniu-se, na tarde deste sábado, com os coordenadores de campanha dos candidatos à Presidência da República para informar que haverá aumento do efetivo policial colocado à disposição das equipes de segurança. Segundo nota da PF,  o convite partiu da direção da instituição e foi encaminhado aos comitês de campanha dos presidenciáveis que solicitaram proteção. "Em decorrência da elevação do nível de alerta provocado por evento crítico no decorrer de campanha, haverá aumento do efetivo policial", diz a nota.

 

Heloísa Mendonça
Beatriz Jucá

O deputado Flávio Bolsonaro rebateu as críticas do presidenciável Guilherme Boulos (PSOL) sobre a foto publicada pelo parlamentar na manhã deste sábado em que o candidato Jair Bolsonaro faz um gesto de arma com as mãos. A foto foi feita no hospital Albert Einstein, onde Jair Bolsonaro está internado após ser esfaqueado em um ato de campanha em Minas Gerais.

Beatriz Jucá
Beatriz Jucá

Beatriz Jucá
Beatriz Jucá

O candidato a presidente pelo PSOL, Guilherme Boulos, usou sua conta do Facebook para criticar uma foto de Jair Bolsonaro fazendo gesto de arma com as mãos no hospital Albert Einstein, onde está internado. A imagem foi publicada nas redes sociais pelo filho do presidenciável do PSL, deputado Flávio Bolsonaro.

Beatriz Jucá
Beatriz Jucá

As tensas horas para salvar Bolsonaro e prender o acusado

Em Juiz de Fora, médicos e apoiadores do candidato relatam o momento em que o candidato do PSL foi atacado. Bolsonaro chegou à Santa Casa em choque, com a pressão arterial muito baixa, 7 por 4. Havia dois litros de sangue em seu abdômen, de modo que precisaram realizar uma transfusão. Quatro bolsas foram usadas. Tranferido para o hospital Albert Einstein, Bolsonaro deverá seguir internado de sete a dez dias. Acusado de ter esfaqueado o deputado, Adelio Bispo de Oliveira permanece preso preventivamente. Leia reportagem: http://cort.as/-A_F2

Beatriz Jucá
Beatriz Jucá

Aliados de Jair Bolsonaro (PSL) devem seguir com a campanha do presidenciável nas ruas. O filho do candidato, deputado Flávio Bolsonaro, assumirá parte da agenda de campanha que estava prevista para o presidenciável do PSL a partir deste domingo. Ele postou um vídeo no Twitter na manhã deste sábado, convocando os militantes para uma caminhada em Copacabana, por volta das 11h. O ato, que já integrava a agenda oficial de Bolsonaro, será convertido em uma manifestação pela vida do candidato. Também está marcado um ato semelhante em São Paulo para as 15h deste domingo, na Avenida Paulista. 

Beatriz Jucá
Flávia Marreiro

Marina Silva faz caminhada pela paz em São Paulo

Marina Silva faz caminhada pela paz no centro de São Paulo neste sábado, dois dias após o atentado contra Bolsonaro. A candidata da REDE, que havia conseguido um momentum na campanha atacando o ultradireitista. Agora tem, como todos os demais candidatos, que recalcular as estratégias. Leia reportagem http://ow.ly/8l1930lJOza

Flávia Marreiro
Beatriz Jucá

O Hospital Albert Einstein acaba de divulgar uma nota informando que as visitas ao candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, permanecem restritas à sua esposa e filhos, por ordem médica. "O paciente se encontra em uma Unidade de Terapia Intensiva, local de acesso controlado, e em fase de recuperação na qual o descanso é requisito fundamental", afirma a nota. Alguns correligionários do presidenciável, como o candidato a vice Hamilton Mourão (PRTB) e o senador Magno Malta (PR), estiveram no hospital na manhã deste sábado (8). O coordenador de campanha de Bolsonaro, deputado Onyx Lorenzoni (DEM), a candidata a deputada estadual Janaina Paschoal e o presidente do PSL em São Paulo, Major Olímpio, estiveram na última sexta (7) no hospital para visitar o presidenciável. 

Beatriz Jucá
Beatriz Jucá

Editorial | "A facada sofrida pelo candidato à presidência do Brasil Jair Bolsonaro é um ato inaceitável e gravíssimo que não deve receber a menor oportunidade de desestabilizar a campanha eleitoral das importantes eleições de outubro. As condenações expressadas pelos rivais do candidato atacado não são, portanto, uma amostra de solidariedade além das ideologias e sim uma mensagem ao eleitorado de que o Brasil não pode transigir com o pior ato de violência física contra o processo democrático vivido nas últimas três décadas". Leia a íntegra em: http://cort.as/-A__A

Beatriz Jucá
Beatriz Jucá

Beatriz Jucá
Beatriz Jucá

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) "mantém-se consciente e em boas condições clínicas", segundo boletim médico divulgado pelo Hospital Israelita Albert Einstein na manhã deste sábado (8). O candidato, que segue internado na Unidade de terapia Intensiva (UTI), ainda não se alimenta por via oral, mas não tem sinais de infecção e deve ser movimentado do leito para a poltrona ainda hoje. "Os exames de imagem e laboratoriais realizados durante avaliação médica mostraram resultados estáveis. Encontra-se em boas condições cardiovascular e pulmonar, sem febre ou outros sinais de infecção. Mantém jejum oral, recebendo nutrientes por via endovenosa. Está mantida a continuidade no tratamento clínico com boa evolução, sem necessidade de procedimento no momento", informa o boletim. Conforme a assessoria de imprensa do hospital, a equipe médica não dará entrevista coletiva sobre o estado de saúde do candidato. Outro boletim deve ser divulgado às 18h.

Beatriz Jucá
Beatriz Jucá

O Hospital Israelita Albert Einstein deverá divulgar em instantes o segundo boletim médico sobre o estado de saúde do candidato Jair Bolsonaro (PSL). O primeiro foi divulgado por volta das 14h desta sexta-feira (7) e indicava que o presidenciável estava na UTI e passava bem. Conforme a assessoria de imprensa do hospital, a equipe médica não dará entrevista coletiva. Dois boletins diários estão previstos para às 10h e às 18h. 

Beatriz Jucá
Regiane Oliveira

Na manhã deste sábado (8) a Polícia Federal transferiu Adelio Bispo de Oliveira, réu confesso de esfaquear Jair Bolsonaro, de Juiz de Fora para uma prisão federal em Campo Grande, Mato Grosso. A previsão é que ele chegue ao meio dia, pois o avião fará uma parada em Ribeirão Preto. (Foto: Ricardo Moraes/Reuters)

Regiane Oliveira
Felipe Betim
Os quatro advogados que fazem a defesa de Adélio Bispo de Oliveira se pronunciaram sobre o seu cliente. Eles confirmaram que também pediram para que Adélio fosse enviado para uma presídio federal com o objetivo de garantir sua proteção. Eles frisaram que o acusado agiu sozinho e com motivação política, tendo saído de casa com o objetivo de matar Bolsonaro. "O que nós vamos analisar são as circunstâncias atenuantes. A própria confissão, a motivação política, o discurso de ódio que a vítima trazia como meta de campanha. Adélio é negro e se considera um negro. E aquela declaração de que um negro quilombola não serviria sequer para procriar... Isso daí atingiu de uma forma avassaladora a psique dele. Ele tem um histórico de uso de medicação controlada", explicou Zanôni Manuel de Oliveira Júnior, um dos advogados. "Nós já entramos em contato com psiquiatras, e segunda-feira vamos trazer por escrito um requerimento para que o incidente de sanidade mental seja instaurado e um perito oficial seja designado pelo magistrado. Nós da defesa iremos também indicar um perito assistente", completou. Adélio ainda "salienta que agiu de forma escoteira, solitária. Aquela intenção era única, só dele. Não havia concurso de pessoas", acrescentou Zanôni. Os advogados explicaram que foram contratados por pessoas da igreja (preferiram não especificar qual) à pedido dos familiares do acusado. Um deles teve contato com Adélio ainda ontem e os outros três o conheceram só hoje, durante a audiência de custódia, segundo asseguraram.
Felipe Betim
Felipe Betim
A audiência de custódia acaba de terminar aqui em Juiz de Fora. Adélio Bispo de Oliveira, de 40 anos, permanecerá preso preventivamente após ter sido detido em flagrante por tentar matar Bolsonaro, segundo informou o deputado federal Fernando Franceschini, que acompanhou a audiência. Patricia Alencar Teixeira de Carvalho, juíza substituta da segunda vara federal de Juiz de Fora, também acatou o pedido da acusação e ordenou que o Adélio seja enviado para um presídio federal. O lugar vai ser definido pelo ministério da Justiça ainda hoje, segundo Franceschini. Tanto o Ministério Público como a defesa aceitaram que Adélio fosse enviado para um presídio federal, sob a justificativa de que é a melhor maneira de protegê-lo, ainda segundo o deputado. Ele disse ainda que o acusado confessou na audiência estar agindo por motivações políticas e religiosas. Eram quatro advogados de defesa, ainda não identificados, que explicaram que Adélio toma remédios (não especificaram quais) e vão alegar insanidade mental do acusado, segundo Franceschini.
Felipe Betim
Beatriz Jucá

O deputado Flávio Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro, diz que continua defendendo o porte de armas após o atentado ao presidenciável nesta quinta-feira. “Quem mata as pessoas não é a arma, são as pessoas”, declara, em entrevista à imprensa em frente ao Hospital Albert Einstein. Neste momento, além do parlamentar, a esposa do candidato, Michelle Bolsonaro, e o filhos Eduardo e Carlos Bolsonaro acompanham o presidenciável. 

Beatriz Jucá

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS