Copa do Mundo Rússia 2018

Com falha de Muslera, França vence Uruguai e está na semifinal

Franceses vencem por 2 a 0 e estão nas semifinais, agora esperam resultado entre Brasil e Bélgica

O goleiro uruguaio Fernando Muslera após falhar em pegar ataque de Griezmann.
O goleiro uruguaio Fernando Muslera após falhar em pegar ataque de Griezmann.FRANCK ROBICHON / EFE

Mais informações

Sem grandes dificuldades, a França venceu o Uruguai por 2 a 0 nesta sexta-feira, em Nizhny Novgorod, pelas quartas de final da Copa do Mundo Rússia 2018. Com ótima campanha, os franceses estão classificados para as semifinais e agora enfrentam a Bélgica, que desbancou o Brasil. 

Em jogo sem grandes lances perigosos de ambos os lados, a França chegou ao gol aos 39 minutos quando Griezmann cruzou na área depois de falta do uruguaio Betancour em cima de Tolisso. O zagueiro francês Varane subiu mais alto que a zaga do Uruguai e finalizou para abrir o placar. Já no segundo tempo, quando os uruguaios começavam a ensaiar uma pressão, Griezmann, de novo, finalizou de fora da área e o goleiro Muslera falhou feio e aceitou o chute. Era o 2 a 0.

Enquanto a França aproveitou a presença de uma nova geração de jogadores, capitaneada pelo já citado Griezmann, Pogba e Mbapé, os uruguaios sofreram muito com a ausência de Cavani, que saiu machucado na partida contra a seleção portuguesa. Os uruguaios mal conseguiram criar no ataque, tendo chegado ao gol francês com perigo ao menos uma vez, em bela defesa de Lloris.

A França, apesar de não ter criado muito, foi superior e não sofreu pressão em nenhum momento. A seleção mostra uma clara evolução em relação aos primeiros jogos em que teve alguma dificuldade para vencer da fraca Austrália e empatou por 1 a 1 contra a Dinamarca. Agora, os franceses, campeões mundiais em 1998, avançam para as semifinais em busca do bicampeonato.

Debido a las excepcionales circunstancias, EL PAÍS está ofreciendo gratuitamente todos sus contenidos digitales. La información relativa al coronavirus seguirá en abierto mientras persista la gravedad de la crisis.

Decenas de periodistas trabajan sin descanso para llevarte la cobertura más rigurosa y cumplir con su misión de servicio público. Si quieres apoyar nuestro periodismo puedes hacerlo aquí por 1 euro el primer mes (a partir de junio 10 euros). Suscríbete a los hechos.

Suscríbete