Seleccione Edição
Login

Tiroteio na sede do YouTube na Califórnia deixa três feridos

Uma mulher, que seria uma usuária da plataforma que se queixava de censura, se matou na ação

Imagem de arquivo a sede de YouTube em San Bruno.
Imagem de arquivo a sede de YouTube em San Bruno. AFP

Três pessoas ficaram feridas e uma morreu em um tiroteio nesta terça-feira por volta do meio-dia (hora local) na sede do YouTube em San Bruno, ao sul de São Francisco, no Vale do Silício. De acordo com a polícia, a mulher responsável pelo tiroteio tirou a própria vida. Ela seria uma usuária do YouTube que recentemente se queixou da política de remuneração da plataforma de vídeo. A polícia investiga as motivações.

A identidade da mulher foi confirmada na noite de ontem como Nasim Aghdam. Ela é uma usuária do YouTube que reclama em seu site que a plataforma está censurando seus vídeos em persa e está fazendo com que perca dinheiro. Na web, ela está vinculada a cinco canais do YouTube. Todos eles foram desativados na noite de terça-feira por "graves violações das políticas do YouTube". Uma conta do Instagram supostamente ligada a ela também havia sido desativada.

Aghdam publicou na internet um discurso no qual se queixava de que "não há igualdade real de oportunidades para crescer no YouTube ou qualquer outro site de compartilhamento de vídeos" e acrescenta: "Seu canal crescerá se eles quiserem!". Aghdam publicou conteúdo em farsi, turco e inglês.

A polícia recebeu a primeira ligação em que foi informada de que havia uma pessoa disparando no prédio às 12:46, horário local. Os agentes chegaram dois minutos depois e às, 12:53, encontraram o corpo da suspeita, que usou uma pistola de 9 milímetros na ação.

Duas testemunhas disseram às redes locais que os tiros foram rápidos, como se fossem de uma arma automática. Os dois afirmaram ter visto uma mulher ferida na perna, sangrando, que foi levada para uma lanchonete em frente à sede do YouTube, onde ela recebeu os primeiros socorros.

Em questão de minutos, as redes sociais foram tomadas por mensagens de funcionários e amigos que diziam que os tiros foram ouvidos dentro do prédio e que todo o pessoal foi evacuado rapidamente. Vadim Lavrusik, funcionário da empresa, escreveu no Twitter às 12:57 que ouviu tiros e viu pessoas correndo de sua mesa. "Estou abrigado em uma sala com meus colegas", disse ele. Meia hora depois, ele escreveu que estava seguro do lado de fora do prédio.

A sede do YouTube em San Bruno é um gigantesco complexo de três edifícios, ocupando 3.500 hectares e onde 1.900 pessoas trabalham. A empresa de tecnologia, de propriedade do Google, é a maior empregadora de San Bruno, uma das cidades ao sul de São Francisco que compõem o Vale do Silício.

MAIS INFORMAÇÕES