Dança de Trudeau na Índia é alvo de críticas

Internautas veem atitude do primeiro-ministro canadense como expressão de clichês sobre indianos

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, concluiu nesta sexta-feira uma viagem de uma semana à Índia, onde oficializou seis acordos bilaterais em informação, energia, esportes, propriedade intelectual, ensino superior e ciência e inovação. Mas também teve tempo para o lazer. Na noite de quinta-feira, durante um jantar na embaixada do Canadá em Nova Deli, protagonizou uma dança de bhangra, bailado originário da região do Punjab, que despertou ao mesmo tempo irritação e surpresa.

MAIS INFORMAÇÕES

Enquanto alguns internautas aplaudiram “os movimentos” do primeiro-ministro, outros consideraram o gesto uma expressão dos clichês sobre os cidadãos da Índia. “Os indianos não vivem como se estivessem 24 horas em um set de Bollywood”, queixou-se um tuiteiro. “Não Trudeau, você fez tudo errado. Aqui na Índia não nos vestimos o tempo todo como se fôssemos a uma festa de casamento e não dizemos ‘Namastey’ a qualquer um que encontramos pela rua”, protestou outra mulher.

Não foi a única polêmica de sua viagem. Segundo a EFE, a embaixada canadense em Nova Deli convidou para um jantar com Trudeau o independentista sikh Jaspal Atwal. Atwal, com passaporte canadense, é suspeito de envolvimento no assassinato, no Canadá em 1986, de um ministro do estado do Punjab, bastião do sikhismo onde operam grupos que defendem a nação independente do Khalistan (“terra dos puros”) para essa comunidade que conta com 20 milhões de adeptos na Índia e uma diáspora de cinco milhões. O mandatário canadense se desculpou dizendo que Atwal “nunca” deveria ter recebido o convite, enquanto o Governo indiano tentou minimizar a tensão sobre o assunto.

Arquivado Em: