Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

Representante de Pelé nega que o ‘Rei’ tenha sido internado

Associação de Cronistas Esportivos da Inglaterra havia afirmado em nota que o ex-jogador precisou ser hospitalizado após desmaiar em sua casa

Pelé no ato da passada segunda-feira com um andador.
Pelé no ato da passada segunda-feira com um andador. AFP

A saúde do ídolo brasileiro Pelé, que já era alvo de especulações na imprensa brasileira nos últimos dias, volta a virar notícia. O Rei do Futebol, único atleta a ter conquistado três Copas do Mundo, sofreu um desmaio nesta quinta-feira na sua casa e, segundo seu representante, declarou estar “esgotado”, mas sem que nenhum médico diagnosticasse isso. Imediatamente, ele cancelou todas as suas atividades, o que incluía uma viagem a Londres para participar de uma homenagem prestada pela Associação de Cronistas do Futebol da Inglaterra.

A entidade emitiu um comunicado relatando que Pelé havia sido hospitalizado, o que motivou uma nova onda de comentários sobre a deterioração física daquele que, para muitos, foi o melhor jogador de futebol da história. “Permanece com soro enquanto os médicos controlam sua recuperação. Felizmente, não há nenhum indício de algo mais sério que um esgotamento”, dizia o texto.

Aos 77 anos, Pelé é provavelmente a personalidade mais unanimemente querida do Brasil. Embora seus problemas médicos tenham começado já em 2012, quando teve início uma série de operações de quadril, menisco e coluna, nos últimos tempos ele vem surpreendendo os fãs a cada aparição pública. Em dezembro, quando participou do sorteio dos grupos da Copa em Moscou, estava em cadeira de rodas. Nesta semana, na abertura do Campeonato Estadual do Rio, usou um andador.

Todas essas imagens vêm condicionando o que se diz nas ruas sobre Pelé. Parece sintomático que no ano passado, quando foi tema de uma reportagem de capa da revista masculina VIP, sua imagem tenha passado meses sendo vista nas bancas de jornal e, em formato gigante, nos pontos de ônibus das principais cidades brasileiras. O título era: “Pelé, sem medo da morte”.

MAIS INFORMAÇÕES