Fraude fiscal no futebol

Marcelo admite fraude fiscal e se compromete a pagar 500 mil euros

Em audiência judicial nesta terça, o jogador do Real Madrid reconheceu ter sonegado quase meio milhão de euros em 2013

Marcelo, durante o jogo do Real Madrid contra o Atlético
Marcelo, durante o jogo do Real Madrid contra o AtléticoPIERRE-PHILIPPE MARCOU (AFP)

MAIS INFORMAÇÕES

O jogador Marcelo, do Real Madrid, reconheceu, em audiência judicial nesta terça-feira, ter fraudado a Fazenda espanhola em 490.917,70 euros (1,9 milhão de reais) referentes ao Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) durante 2013 e se comprometeu a pagar essa quantia.

Fontes judiciais informaram à agência EFE que o lateral esteve por apenas 10 minutos no Tribunal de Instrução Número 4 de Alcobendas, província de Madri, para responder à denúncia apresentada pela Promotoria. Marcelo deverá agora pagar a quantia que é acusado de sonegar. A Advocacia do Estado, a Promotoria e sua defesa deverão elaborar um documento de conformidade com essa resolução, que será apresentado ao juiz quando for fixada a data do julgamento oral para ser ratificado, segundo a mesma fonte.

Os promotores acusaram o jogador brasileiro de criar uma estrutura de empresas para ocultar rendas obtidas com os direitos de imagem. A fim de obter “um benefício fiscal ilícito”, o jogador ocultou as quantias procedentes da exploração desses direitos em suas declarações de 2011, 2012 e 2013.

De fato, após a declaração de 2013, em setembro do ano seguinte a Fazenda devolveu a Marcelo 10.258,34 euros (cerca de 39 mil reais). No processo, uma das sociedades que integram o esquema, Chaterella Investors Limited, obteve em 2011 e 2012 rendas através do Real Madrid, que causaram à Fazenda espanhola um prejuízo de 100.476 euros (381.808 reais) e 101.615 (386.137 reais), respectivamente.

No entanto, tais quantias são inferiores a 120 mil euros (456 mil reais), o valor mínimo para que se considere um crime contra a Fazenda. Mas, em 2013, a sociedade Birsen Trade S.A. obteve receitas de 1.168.764,38 euros (cerca de 4,4 milhões de reais) “aparentemente” derivadas dos direitos de imagem do jogador através do Real Madrid, Adidas e Panini e que não foram declaradas no imposto de renda, gerando um prejuízo de 490.917,70 euros (1,9 milhão de reais) à Fazenda.

Arquivado Em: