Albinen, a cidade suíça que quer pagar 82.000 reais para quem ficar para morar

Requisitos obrigam que novos moradores tenham menos de 45 anos e permaneçam por uma década

Vista da localidade de Albinen, na Suíça
Vista da localidade de Albinen, na SuíçaVasile Cotovanu
Mais informações
As aldeias condenadas
Os shoppings fantasmas de Sorocaba
Uma radiografia da Marginal Tietê para o debate da velocidade em São Paulo

Em Albinen, pequena localidade montanhosa da Suíça a menos de duas horas de trem de Berna e a pouco menos de três de Genebra, o sol brilha com frequência, a paisagem é extraordinária e o ar é puro. A única coisa que falta são moradores. O município, com apenas 240 habitantes, perdeu três famílias nos últimos três anos, e seu prefeito, Beat Jost, diz que teve de fechar a escola por falta de alunos. Diante da situação – só restam cinco crianças em idade escolar –, alguns moradores tiveram a ideia de incentivar a chegada de novos residentes pagando até 25.000 francos suíços (cerca de 82.000 reais) por adulto que vá viver na cidade.

A iniciativa, endossada por 94 pessoas (quase a metade do eleitorado), foi apresentada por um grupo de jovens em agosto. A Câmara Municipal a aceitou e será votada em 30 de novembro. O texto propõe também que, além dos 25.000 francos suíços por adulto, se incentive com mais 10.000 francos (32.700 reais) por criança, embora os novos moradores tenham de comprometer-se com uma série de condições, como adquirir ou reformar uma casa de no mínimo 200.000 francos suíços (655.000 reais) e viver dez anos na localidade.

De acordo com os documentos da câmara, citados pelo jornal The Sunday Times, a cidade espera atrair cinco famílias, dez adultos e oito crianças até o ano 2022. “No “melhor dos casos” se mudariam dez novas famílias, trazendo consigo pelo menos 16 crianças. “Esperamos que o compromisso financeiro do município conduza aos resultados [que queremos]”, declarou o prefeito. O município já reservou 100.000 francos suíços (330.000 reais) por ano para o plano. “Haverá mais habitantes e mais receita, mas também mais trabalho graças aos novos projetos de construção”, prevê Jost.

Cada vez há mais segundas residências em Albinen e só restam cinco menores em idade escolar
Cada vez há mais segundas residências em Albinen e só restam cinco menores em idade escolarVasile Cotovanu

Há muitos municípios em montanhas que já estão pondo em andamento medidas similares, segundo explicou o diretor da Associação Suíça de Regiões de Montanha, Thomas Egger, à agência de notícias suíça ATS. Em Inden, os moradores recebem descontos por suas compras na loja da cidade e em Safien, o transporte público é gratuito para os jovens.

Em Albinen, situada no Vale do Ródano, 1.300 metros acima do nível do mar, há uma igreja rodeada por um pátio com chalés e casas típicas, muitas delas transformadas em segundas residências. A ideia é que as pessoas que as utilizem não fiquem somente nas férias.

Mais informações

Arquivado Em

Recomendaciones EL PAÍS
Recomendaciones EL PAÍS