Seleccione Edição
Login

Cinco feridos no Canadá em dois supostos atentados terroristas

Um homem foi preso como possível autor de quatro atropelamentos e um ataque com faca em Edmonton

Furgão tombado dirigido pelo suspeito.
Furgão tombado dirigido pelo suspeito. AP

Um indivíduo foi preso na madrugada de domingo em Edmonton, no Canadá, depois de ter supostamente atropelado quatro pedestres com um furgão e esfaqueado um agente de trânsito. O chefe da polícia de Edmonton, Rod Knecht, afirma que o autor do ataque é um homem de 30 anos que agiu sozinho, embora esteja sendo considerado o possível envolvimento de outras pessoas, em declarações feitas à televisão pública canadense CBC. O acontecimento está sendo investigado como “ato de terrorismo”.

O ataque ocorreu às 20h15 (23h15 de Brasília) de sábado, nas proximidades do Estádio Commonwealth, em Edmonton, onde estava sendo disputada uma partida da liga de futebol canadense. O agressor investiu com um carro Chevrolet Malibu contra um agente que orientava o trânsito nos arredores do estádio. O homem “então saiu do veículo e esfaqueou o agente várias vezes antes de fugir do lugar a pé”, relata Knecht. Ele também disse que uma bandeira do Estado Islâmico foi encontrada no carro.

Mais tarde, por volta da meia-noite, um agente identificou o nome do dono do Chevrolet, que naquele momento tinha sido parado por um controle da polícia dirigindo um furgão. O homem acelerou e se dirigiu ao centro da cidade a uma velocidade de cerca de 80 quilômetros por hora, de acordo com testemunhas oculares. “Durante a perseguição, o motorista do furgão tentou deliberadamente atropelar pessoas nas faixas de pedestres”, disse Knecht.

O atacante conseguiu ferir quatro pessoas antes de tombar o furgão e ser detido pela polícia. Ainda não se sabe a gravidade dos ferimentos dos pedestres, enquanto o agente de trânsito esfaqueado não corre risco.

O primeiro-ministro canadense, Justin Trudeau, disse em um comunicado sentir-se “extremamente preocupado e indignado com essa tragédia”. “Não podemos deixar, nem deixaremos, que o extremismo violento se enraíze em nossa comunidade”, disse.

 

MAIS INFORMAÇÕES