Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

UEFA inicia investigação do PSG pelas transferências de Neymar e Mbappé

Entidade mostra preocupação pela possível violação do Fair Play Financeiro por parte do clube parisiense

Mbappé celebra gol contra a Holanda
Mbappé celebra gol contra a Holanda AFP

A UEFA não ficou parada ante os exorbitantes desembolsos do Paris Saint Germain (PSG) por Neymar (222 milhões de euros, cerca de 828 milhões de reais) e Kylian Mbappé (180 milhões de euros, 670 milhões de reais) e anunciou que iniciará uma investigação para analisar se o clube francês violou as normas do Fair Play Financeiro. É a primeira vez que a entidade age tão rápido, alarmada e preocupada com esses movimentos bilionários.

Como se encerrou o mercado francês de contratações, o órgão que rege o futebol europeu já dispõe dos dados para estudar se o PSG tinha margem econômica para realizar esses fortes investimentos, levando em conta sua receita, não só pela venda de jogadores, e as amortizações dos salários de sua equipe. O Fair Play Financeiro impede que um clube lance perdas de mais de 30 milhões de euros (112 milhões de reais) e a UEFA investiga se com os gastos realizados pelo PSG este limite –“o requisito do ponto morto”, segundo a normativa– pode ter sido ultrapassado. Também está sob suspeita a operação envolvendo Mbappé, disfarçada como uma concessão no primeiro ano e uma posterior compra definitiva do Mônaco, seu clube de procedência. O PSG corre o risco de expulsão das competições europeias, que seria posta em prática na temporada 2018-19.

O início formal da investigação foi divulgado pela UEFA em um comunicado. “Nos próximos meses, a Câmara de Investigação do Comitê de Controle Financeiro de Clubes da UEFA se reunirá periodicamente para avaliar com cuidado toda a documentação relativa a este caso. A UEFA considera que o jogo limpo financeiro é um mecanismo crucial de governança que tem por objetivo garantir a sustentabilidade financeira do Futebol Europeu de Clubes”, diz o comunicado.

Nas primeiras medidas da investigação a UEFA solicitará ao clube tudo relacionado a sua situação contábil e poderá ampliar o pedido de documentação à medida que o processo transcorra.

MAIS INFORMAÇÕES