Donald Trump

Trump diz que retirada de símbolos confederados é “estupidez”

Presidente dos EUA defende a permanência de símbolos ligados à defesa da escravidão na Guerra Civil

O presidente dos EUA na segunda-feira em Nova York.
O presidente dos EUA na segunda-feira em Nova York.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a alimentar nesta quinta-feira a controvérsia sobre sua posição perante o supremacismo branco e a reivindicação feita pela extrema direita dos símbolos do lado dos confederados, defensores da escravidão durante a Guerra Civil americana (1861-1865), chamando de “estupidez” a retirada desses símbolos em algumas cidades.

Em uma sequência de três mensagens na rede social Twitter, o presidente criticou a remoção em espaços públicos de estátuas de personalidades da Confederação e outros símbolos a ela relacionados, ocorrida em vários locais dos EUA em consequência dos confrontos violentos de sábado passado em Charlottesville (Virginia) causados por uma passeata de extrema direita. “É triste ver a história e a cultura do nosso grande país se perder com a retirada de nossas belas estátuas e monumentos”, escreveu em sua primeira mensagem, seguida de uma outra em que afirma que “não se pode mudar a história, mas sim aprender com ela”, perguntando-se, também, se acabarão por eliminar as estátuas dos presidentes George Washington e Thomas Jefferson. “Que estupidez!”, exclamou.

Na terceira mensagem da sequência, Trump lamenta: “Sentiremos falta da beleza que está sendo retirada de nossas cidades, vilarejos e parques e jamais conseguiremos substitui-la por nada parecido”.

Na madrugada desta quarta-feira, em Baltimore, cidade com 63% da população formados por afro-americanos, funcionários municipais retiraram estátuas dos generais confederados Robert E. Lee e Thomas ‘Stonewall’ Jackson. A prefeita Catherine Pugh argumentou: “Se as pessoas estão se manifestando em todo o país para que essas estátuas sejam derrubadas, façamos isso e sigamos adiante”.

Em Los Angeles, foi retirado de um cemitério um monumento erguido em 1925 em homenagem aos veteranos confederados. Em Nova York, foi retirada uma placa em homenagem a Robert E. Lee de uma igreja do Brooklin. Na segunda-feira, em Durham, Carolina do Sul, ativistas antirracistas derrubaram uma estátua que homenageava um soldado confederado.