Seleccione Edição
Entra no EL PAÍS
Login Não está cadastrado? Crie sua conta Assine

O ator de ‘Cidade de Deus’ que se converteu no chefe do tráfico Ivan, o Terrível

Ivan da Silva Martins, que fez o papel de um traficante no filme de 2002, é hoje o principal suspeito da morte de um policial em favela carioca

Cidade de Deus
O elenco de ‘Cidade de Deus’; Ivan O Terrível, de short, é o quinto a partir da esquerda.

Há 15 anos, Ivan da Silva Martins era conhecido como Ivanzinho, um moleque problemático que gostava de roubar. Um dia, ele foi selecionado para fazer um pequeno papel em um filme que pretendia mostrar a vida em uma favela dominada pelo crime e pela crueldade dos jovens soldados do tráfico de drogas no Rio de Janeiro. Lançado em 2002, Cidade de Deus se tornou um dos filmes mais conhecidos e aplaudidos do Brasil. Recebeu indicação para o Oscar, foi visto no mundo inteiro e poderia ter mudado a vida de Ivanzinho.

O mesmo jovem que durante as filmagens era, nas palavras do diretor, Fernando Meirelles, um menino pontual e até mesmo um bom ator, é hoje um dos homens mais procurados do Rio de Janeiro. Entre outras acusações, ele é o principal suspeito do assassinato de um policial militar na favela do Vidigal (o agente, Hudson Silva de Araújo, é o 91º a morrer na cidade apenas neste ano, um número escandaloso até mesmo para o Rio de Janeiro e que expressa bem o trágico declínio da cidade).

Ivanzinho é hoje conhecido como Ivan, O Terrível. Segundo a polícia, ele é o chefe do tráfico de drogas na favela do Vidigal, um lugar que, antes de a violência voltar a crescer no Rio, era o destino favorito dos turistas por causa de suas atrações culturais, suas festas, suas pequenas casas e das vistas panorâmicas do mar que oferece.

Como o próprio apelido indica, Ivan, O Terrível, não era um chefe simpático. Além de traficar drogas em nome de seu bando criminoso, o Amigos dos Amigos, ele obrigava os motoristas de peruas a pagarem uma taxa para circular no bairro: na favela, que fica em um morro, as peruas são um meio de transporte essencial para quem mora na parte mais alta.

Segundo o jornal O Globo, Ivanzinho se tornou uma pessoa tão temida que os próprios vizinhos não o aceitavam mais. Fizeram com que mudasse para a favela vizinha, a Rocinha –a mais lucrativa para os traficantes da zona sul, onde se localiza a área turística do Rio. Até o assassinato do policial militar, a do Vidigal era considerada o último reduto de paz nas favelas cariocas. Hoje, ela se soma às que lamentam o fracasso da política que, por ocasião dos grandes eventos esportivos de 2014 e 2016, lhes prometeu segurança e serviços básicos.

Em Cidade de Deus, Ivanzinho era um dos membros do bando do terrível Zé Pequeno, o chefe do tráfico de drogas nas telas de cinema. Agora, Ivan, O Terrível, é o protagonista de seu próprio filme.

MAIS INFORMAÇÕES