Sem condição de ir à Disney, homem inventa simulador de montanha-russa para a filha

“Queria ir à Disney World, mas é muito caro. Esta é a segunda melhor opção”

Mais informações

Levar para dentro de casa a experiência de andar de montanha-russa. Esse foi o desafio de um youtuber norte-americano que popularizou um vídeo no qual mostra a solução que lhe ocorreu quando sua filha pequena pediu uma viagem à Disney World. Conforme conta na descrição do vídeo, intitulado Poor People Roller (“montanha-russa de pobre”), ele não tinha condições de bancar a viagem, e por isso procurou um plano B: um simulador de montanha-russa feito em casa.

O youtuber levanta sua filha, sentada dentro de uma bacia, e a aproxima da tela de uma televisão que projeta uma viagem em montanha-russa de um ponto de vista “em primeira pessoa”. O pai vai movendo a bacia conforme os movimentos da câmera, de modo a acompanhar as subidas e descidas de um passeio real. Como ocorre com frequência, o clipe, embora publicado no YouTube (135.000 reproduções), só viralizou depois de ser compartilhado por outros usuários nas plataformas Reddit e Imgur e em várias contas do Facebook, onde alcança vários milhões de reproduções.

Muitos usuários aplaudiram a criatividade da família da menina, entrou outros ironizaram dizendo que, para que fosse uma autêntica experiência da Disney, teria sido necessário esperar duas horas numa fila antes de sentar a menina em frente à tela.

O custo de uma viagem familiar à Disney World também foi parte do debate. Uma estadia durante a temporada do verão norte-americano (entre hospedagem em Orlando e ingressos para os parques) pode chegar a custar mais de 2.500 dólares para uma família de quatro pessoas, segundo dados do site oficial do resort. O preço não inclui deslocamento nem refeições.

Não foi a primeira vez que um vídeo do youtuber KentuckyFriedIdiot e de sua família acumulam milhares de exibições e compartilhamentos. Em 2015, ele gravou sua filha experimentando um abacate pela primeira vez. A reação dela é um misto de repulsa e espanto. O vídeo original acumula mais de três milhões de exibições em dois anos. Uma versão publicada pelo canal Storyful na plataforma registra mais de 1,8 milhão de reproduções no mesmo período.